Isaura Garcia, cantora morta há 25 anos, tem a força da personalidade exposta por três atrizes em musical de teatro

Intérprete expressiva, Ravenle dá conta como atriz das cenas fortes do embate conjugal da Personalíssima com Walter Wanderley e, como cantora, valoriza números como o samba Pano legal (Billy Blanco, 1956) e O que é que eu faço (Dolores Duran e José Ribamar, 1961). Samba-canção que Soraya já cantava em musical sobre Dolores Duran (1930 – 1959), encenado em 1999, O que é eu que faço foi lançado na voz de Isaura Garcia em 1961, dois anos após a morte de Dolores, que deixou escrito os versos musicados postumamente pelo pianista e compositor José Ribamar (1919 – 1987).

Deixe uma resposta