Com 24 faixas em ordem cronológica, antologia de Lobão passa para 2018


Previsto inicialmente por Lobão para ser lançado em dezembro deste ano de 2017, o álbum Antologia politicamente incorreta dos anos 80 pelo rock – inspirado pelo quase homônimo último livro do artista carioca, Guia politicamente incorreto dos anos 80 pelo rock (2017) – chegará ao mercado fonográfico somente em 2018. Se não houver alteração no cronograma, o público poderá ouvir o disco a partir de 28 de fevereiro.


O lançamento será feito nos formatos de CD duplo, de LP, de pen drive e em edição digital. O 18º álbum de Lobão já está inteiramente gravado, mas o artista ainda busca recursos, em plataforma de financiamento coletivo, para viabilizar a edição do disco.


Antologia politicamente incorreta dos anos 80 pelo rock é o primeiro disco de Lobão como intérprete. Diferentemente do anterior O rigor e a misericórdia (2016), álbum gravado de forma solitária pelo cantor, compositor e músico, a antologia roqueira foi formatada em estúdio com a banda Os Eremitas da Montanha, formada por músicos como o guitarrista Christian Dias.


As 24 músicas do repertório já tinham sido divulgadas em setembro. Neste mês de novembro, Lobão revelou a ordem das faixas nos dois volumes do disco. No álbum, as 24 músicas estarão dispostas em ordem cronológica. Eis, na disposição do disco duplo, as faixas do álbum Antologia politicamente incorreta dos anos 80 pelo rock:

Disco 1

1. Ôrra meu (Rita Lee, 1980)

2. Planeta água (Guilherme Arantes, 1981)

3. Vítima do amor (Evandro Mesquita, 1982)

4. Nosso louco amor (Júlio Barroso e Herman Torres, 1983)

5. Certas coisas (Lulu Santos e Nelson Motta, 1984)

6. Eu não matei Joana D’Arc (Marcelo Nova e Gustavo Mullen, 1984)

7. Geração coca-cola (Renato Russo, 1985)

8. Leve desespero (Fê Lemos, Flávio Lemos, Dinho Ouro Preto e Loro Jones, 1985)

9. Louras geladas (Paulo Ricardo e Luiz Schiavon, 1985)

10. Primeiros erros (Chove) (Kiko Zambianchi, 1985)

11. Nós vamos invadir sua praia (Roger Moreira, 1985)

12. Núcleo base (Edgard Scandurra, 1985)

Disco 2

1. Até quando esperar (Philippe Seabra, Gutge e André X, 1986)

2. Dias de luta (Edgard Scandurra, 1986)

3. Toda forma de poder (Humberto Gessinger, 1986)

4. Pânico em SP (Clemente Nascimento, 1986)

5. Eu sei (Renato Russo, 1987)

6. Virgem (Marina Lima e Antonio Cícero, 1987)

7. Esfinge de estilhaços (Lobão, 1988)

8. Quase um segundo (Herbert Vianna, 1988)

9. Somos quem podemos ser (Humberto Gessinger, 1988)

10. O tempo não para (Arnaldo Brandão e Cazuza, 1988)

11. Lanterna dos afogados (Herbert Vianna, 1989)

12. Azul e amarelo (Lobão, Cazuza e Cartola, 1989)


(Crédito da imagem: Lobão em foto de divulgação de Anatole Klapouch)

Deixe uma resposta