Del-Penho celebra Nei em disco com parcerias do bamba com Bosco e Ivan


Samba que abriu a parceria de Nei Lopes com a dupla de compositores formada por Ivan Lins com Vitor Martins, conexão promovida há 35 anos pela cantora Beth Carvalho ao conceber o agregador álbum Traço de opinião (1982), Enquanto a gente batuca ganhará registro de Alfredo Del-Penho. O samba integra o repertório do terceiro álbum solo deste cantor, compositor, músico e ator fluminense. Dois anos após a dupla estreia solo no mercado fonográfico, com os simultâneos discos independentes Pra essa gente boa (2015) e Samba sujo (2015), Del-Penho prepara álbum inteiramente dedicado ao cancioneiro do compositor carioca Nei Lopes, um dos maiores bambas do samba, diplomado em música e em cultura negra.


“Nei é minha maior referência, juntamente com Antônio Nóbrega, pela busca da compreensão da música popular brasileira. Ambos vivem muito a cultura sobre a qual falam e escrevem”, justifica Del-Penho. “Além de ele ser um artista que admiro, sinto que poucas pessoas associam ao Nei o repertório dele, que é muito tocado e inclui parcerias com Wilson Moreira, Guinga, Moacir Santos, João Bosco, entre muitos outros”, argumenta o artista.


Além do samba Enquanto a gente batuca, o repertório selecionado por Del-Penho inclui Jimbo no jazz, parceria rara de Lopes com João Bosco, lançada há oito anos pelo cantor e compositor mineiro no penúltimo álbum de músicas inéditas, Não vou pro céu, mas já não vivo no chão (2009). O álbum de Del-Penho será lançado simultaneamente com o novo livro de Nei Lopes, Academia de Letras, que reunirá cerca de 300 letras do sambista de atuais 75 anos, cobrindo 45 anos de música.


Para quem estiver no Rio nos próximos sábado e domingo, 11 e 12 de novembro, Del-Penho cantará músicas do álbum dedicado a Nei Lopes no show que fará no Espaço Furnas Cultural.


(Crédito da imagem: Alfredo Del-Penho em foto de Leo Aversa)

Deixe uma resposta