DISCOS DE OUTUBRO DE 2017 – Bosco e Bernardes colhem (justos) elogios


OS MELHORES DISCOS DE OUTUBRO DE 2017 – Tecnicamente lançado (ainda que somente em edição digital) no fim de setembro, o primeiro álbum solo de Tim Bernardes, Recomeçar, foi um dos discos mais comentados ao longo deste mês de outubro que hoje se encerra, colhendo justos elogios por conta da sinfonia da dor orquestrada pelo cantor, compositor e músico paulistano, líder do trio O Terno. Lançado esta semana no formato de CD, pelo selo Risco, Recomeçar já tem lugar garantido na lista de melhores discos deste ano de 2017.


Contudo, no mercado fonográfico, outubro foi também o mês em que João Bosco retornou, impávido, ao disco. Primeiro álbum de músicas inéditas do cantor, compositor e violonista mineiro em oito anos, Mano que zuera (MP,B Discos / Som Livre) mostrou o artista com fôlego, sem repetir fórmulas, e destacou músicas como a esplêndida Fim (João Bosco e Francisco Bosco) e o inebriante samba Duro na queda, composto por Bosco com Aldir Blanc, parceiro com o qual alicerçou a obra na década de 1970.


(Crédito da imagem: João Bosco em foto de divulgação de Flora Pimentel)

Deixe uma resposta