Banda 1/2 Dúzia de 3 ou 4 celebra os 81 anos de Tom Zé no quinto álbum


81 anos de Tom Zé é uma obra de ficção, mas quaisquer semelhanças com acordes, arranjos, notas ou instrumentação, não terão sido mera coincidência”. Ao conceituar o álbum que lança hoje, 23 de outubro de 2017, a banda paulistana 1/2 Dúzia de 3 ou 4 já expõe a irreverência que a conecta com o compositor baiano Antônio José Santana Martins, vulgo Tom Zé, tropicalista de verve marota e paulistana como o sexteto formado por Luisa Toller (teclados e voz), Marcos Mesquita (baixo e voz), Mike Reuben (saxofones, flauta e voz), Pedro Prado (bateria), Sergio Wontroba (saxofones, clarinete e voz) e Thiago Melo (cavaquinho, violão e voz).


Com produção de Montorfano e Ivan Gomes, o álbum 81 anos de Tom Zé (Matraca Records) é o quinto álbum da 1/2 Dúzia de 3 ou 4 – banda que está há 14 anos na cena independente – e chega ao mercado fonográfico no mês em que o compositor de São São Paulo (1968) festeja os 81 anos de vida, completados no dia 11. Através de 12 músicas inéditas e de um poema (jocosamente intitulado São São), o grupo celebra Tom Zé com referências à vida e à obra do artista.


Deixe disso, Toinho (Sérgio Wontroba e Thiago Melo), O amor é novo-menino (Luisa Toller) – de título alusivo a O amor é velho-menina, música lançada por Tom Zé em 1992 no álbum The hips of tradition – e Neusa (Luísa Toller e Thiago Mello) são exemplos de composições construídas com sucessivas citações de dados biográficos e de canções do artista.


O álbum 81 anos de Tom Zé foi gravado com numerosas participações especiais. Uma delas é a da cantora Juliana Perdigão, cuja voz é ouvida em O frentista de Irará (Luísa Toller, Marcos Mesquita e Thiago Mello). Contudo, é preciso conhecer bem o cancioneiro de Tom Zé para perceber e fruir as alusões e citações embutidas pela banda 1/2 Dúzia de 3 ou 4 no repertório do álbum 81 anos de Tom Zé.


(Crédito da imagem: capa do álbum 81 anos de Tom Zé. Banda 1/2 Dúzia de 3 ou 4 em foto de Luis Simione)

Deixe uma resposta