Nelson Freire volta a Brahms em CD feito 50 anos após estreia do pianista


Em 1967, Nelson Freire tinha 23 anos de vida e uma técnica já promissora quando debutou na carreira fonográfica solo com álbum centrado no toque da Sonata para piano in F minor do compositor alemão de música clássica Johannes Brahms (1833 – 1897).


Decorridos 50 anos, o pianista mineiro está prestes a completar 73 anos de vida – a serem festejados neste mês de outubro de 2017 – e, além da técnica já aplaudida em escala mundial no universo da música erudita, esbanja sensibilidade e soberania que lhe permitem voltar com segurança ao tema e ao repertório do compositor alemão que solidificou a obra em Viena, na Áustria, na segunda metade do século XVIII, quando se tornou um dos pilares da música clássica universal.


Lançado pela gravadora Decca, o álbum Nelson Freire – Brahms está sendo editado no Brasil com distribuição da Universal Music. O disco expõe o toque preciso de Freire para 17 peças do compositor de temas como Ballade in G minor op. 118 nº 3 e Capriccio in D minor op. 116 nº 1, ambos incluídos na seleção do disco de Freire. Trata-se da primeira abordagem fonográfica da obra de Brahms pelo pianista brasileiro desde 2007, ou seja, em uma década.


(Créditos das imagens: Nelson Freire em foto de divulgação. Capa do álbum Nelson Freire – Brahms)

Deixe uma resposta