BaianaSystem confirma o momento áureo da banda em show antológico


ROCK IN RIO 2017 – Em antológico show feito na pressão, BaianaSystem confirmou o grande momento da banda de Salvador (BA) ao eletrizar o público que assistiu na tarde de ontem, 22 de setembro, à apresentação da banda no Palco Sunset com a participação realmente especial de Titica, cantora trans da Angola. Em dia em que o Sunset irradiou luzes e forças musicais nordestinas, a BaianaSystem reergueu, com mix de baticum e pancadão eletrônico, a ponte que liga a Bahia à Africa, passando pelo Caribe.


Lucro (Russo Passapusso e Mintcho Garrammone, 2016) mostrou, já no início do show, porque a BaianaSystem tem conquistado plateias pelo Brasil. O som convulsivo da banda potencializou a força do discurso político presente tanto nas falas do vocalista Russo Passapusso quanto nas letras das músicas do segundo álbum da banda, Duas cidades (2016), cujo repertório foi o motor do roteiro do show que marcou a estreia da BaianaSystem no Rock in Rio.


Em caldeirão sonoro fervido na mistura de ritmos como reggae, cadência predominante em temas como Jah Jah revolta parte 2 (Russo Passa Pusso, Roberto Barreto e SekoBass, 2016) e Dia da caça (Russo Passapusso, 2016), e o baiano samba duro, jogado com força em Panela (Russo Passapusso e Roberto Barreto, 2016).


Panela, aliás, preparou o clima para a apoteótica entrada em cena de Titica. Música recém-lançada em single pela BaianaSystem com a cantora trans de Angola, Capim Guiné (Russo Passapusso, SekoBass e Titica, 2017) contagiou com a mistura inebriante de ritmos africanos (kizomba, kuduro) com levadas baianas e a efervescência do rap. Na sequência, cheia de energia, Titica assumiu o protagonismo do show com as músicas do repertório da cantora, Olha o boneco (Titica e Puto Português, 2012) e Chão chão (Titica e Mona Star, 2011).


Em movimentos frenéticos com duas dançarinas, e depois com o próprio Russo Passapusso, Titica evocou as coreografias do grupo baiano É o Tchan. Tudo a ver com o samba-reggae Barra avenida parte 2(Roberto Barreto, Russo Passapusso, SekoBass, Chico Correr e Filipe Cartaxo, 2016), apresentado na sequência pela banda.


No fim, a BaianaSystem arrematou o coeso roteiro com versão estendida de Playsom (Russo Passapusso, 2016). Em total interação com a plateia, Russo Passapusso comandou a massa e fez da apresentação da BaianaSystem um dos melhores shows do Rock in Rio 2017.


(Créditos das imagens: BaianaSystem e Titica no Rock in Rio 2017 em fotos de Alexandre Durão / G1)

Deixe uma resposta