Mariana Baltar concretiza projeto de álbum em homenagem a Aldir Blanc


Cantora carioca revelada há 11 anos com a edição do sedutor álbum Uma dama também quer se divertir (2006), Mariana Baltar concretiza a ideia do disco dedicado à obra do compositor carioca Aldir Blanc. Baltar acalenta o projeto desde 2015, mas, por questões de produção, o disco da artista será lançado após os tributos fonográficos da cantora carioca Dorina (Dorina canta sambas de Aldir & ouvir ao vivo, 2016) e da cantora portuguesa Maria João (A poesia de Aldir Blanc, 2017) ao cancioneiro de Aldir.


Cavaquinista do grupo Água de moringa, Jayme Vignolli é o produtor do disco de Baltar, cujo último projeto fonográfico, tReSvaRiOs (2013), foi dedicado à parceria dos compositores Luiz Flávio Alcofra e Mauro Aguiar. O repertório do álbum de Baltar com obra de Aldir inclui música composta e gravada para o primeiro álbum de João Bosco, Os Arcos – Paixão e morte, mas não incluída no disco lançado em 1973 pelo cantor e compositor mineiro, parceiro mais frequente de Aldir Blanc na década de 1970.


Os Arcos – Paixão e morte é suíte sobre os Arcos da Lapa, ponto turístico do bairro da zona central da cidade do Rio de Janeiro (RJ). Através do produtor Rildo Hora, Jayme Vignolli e Josimar Carneiro encontraram a gravação em fitas de rolo e a digitalizaram em 2016 para servir de guia para a gravação de Baltar.


(Crédito da imagem: Mariana Baltar em foto de divulgação de Silvana Marques)

Deixe uma resposta