Destaque na Bienal, dançarino da periferia dá reviravolta na carreira após deixar vida de escritório

“Foi bem difícil. Porque aperta o bolso, aperta em casa. Você larga mão de tudo e escolhe outra [coisa] que você não tem certeza, porque você nunca tentou. É meio que um tiro no escuro. E, mesmo apertado, eu insisti. Mas, depois de tudo, meus amigos me empurrando para conseguir alguma coisa, deu certo”, conta.

Deixe uma resposta