Crianças se divertem em máquina de desenhos coletivos e imprevisíveis na Bienal de Dança

“Eu achei muito legal, porque junta uma parte mecânica interessante com arte. Se a gente adorou, as crianças então… Se deixar, eles ficam aí o dia inteiro, não consigo tirar daí”, se diverte Aline Rossati, que trouxe os filhos Vitor e Ana Elis, gêmeos de 3 anos.

Deixe uma resposta