Ao abrir e gravar parceria com Iorc, Milton reanima o espírito gregário


Em 1972, Milton Nascimento já tinha fama, prestígio e um álbum gravado para o mercado dos Estados Unidos – créditos que lhe permitiriam continuar a bem-sucedida carreira que iniciara em 1967 com todos os holofotes sobre ele. Mas Milton reforçou os laços fraternos e musicais com jovem turma de compositores de Minas Gerais em álbum duplo assinado com Lô Borges. Clube da Esquina, este antológico disco, foi a pedra fundamental na construção ideológica e sonora do movimento musical batizado com o nome do álbum.


De lá para cá, Milton pautou a carreira pelo espírito gregário desse álbum lançado há 45 anos. A notícia de que o cantor e compositor carioca abriu e gravou parceria com Tiago Iorc reanima (mais uma vez) esse espírito de união presente na vida e obra de Milton, ícone da MPB sempre disposto a cantar com jovens artistas, a ponto de ter saído recentemente em turnê com show feito com o rapper Criolo.


Programada para ser lançada em outubro deste ano de 2017, a gravação da música inédita – formatada no estúdio Toca do Bandido, na cidade do Rio de Janeiro (RJ), com produção de Iorc – soa coerente com a trajetória de Milton ao mesmo tempo em que dá upgrade no currículo de Iorc, que vinha fazendo conexões com astros do universo sertanejo, como é comum com artistas que transitam no mainstream do mercado pop.


De título ainda não revelado (os cantores estariam indecisos entre dois nomes), a música será lançada em single gravado com o toque da Orquestra Filarmônica da Cidade de Praga, marcando a entrada de Iorc no clube de Milton.


(Crédito da imagem: Milton Nascimento e Tiago Iorc no estúdio Toca do Bandido em foto de divulgação)

Deixe uma resposta