Passeio de Amelinha pelo cancioneiro de Belchior em disco inclui ‘Incêndio’


Cantora cearense cujos caminhos se cruzaram com os do conterrâneo Belchior (1946 – 2017) desde o fim da década de 1960, Amelinha grava álbum com músicas do compositor no estúdio Canto da Coruja, situado em Piracaia (SP), cidade do interior do estado de São Paulo. O convite para fazer o disco foi feito a Amelinha pelo produtor Thiago Marques Luiz, no calor da emoção da notícia da morte de Belchior, que surpreendeu e entristeceu o Brasil em 30 de abril ao sair de cena no Sul do país.


Previsto para ser lançado no fim de outubro pela gravadora Deck, o álbum está sendo gravado sob a direção musical de Estevan Sincovitz (guitarra, violões e baixo), integrante da banda formada por Caio Lopes (bateria), Fabá Jimenez (guitarra e violão), Ricardo Prado (teclado, baixo e sanfona) para dar forma ao repertório. O título do álbum deverá ser De primeira grandeza, nome da música lançada por Belchior em 1987. É que o compositor disse certa vez a Amelinha que gostaria de ver a composição na voz da cantora – vista na foto de Murilo Alvesso em sessão de gravação do disco.


No repertório, escolhido pela intérprete com o produtor Thiago Marques Luiz, sucessos do cancioneiro do compositor – como A palo seco (1973) e Paralelas (1975) – se alternam com músicas menos conhecidas de Belchior, casos de Incêndio (Belchior e Petrúcio Maia, 1980) e de Passeio (1974), composição do primeiro álbum do cantor cearense.


(Crédito da imagem: Amelinha no estúdio Canto da Coruja em foto de Murilo Alvesso)

Deixe uma resposta