Meneses e Mehmari brilham na suíte brasileira que rege CD ‘AM 60 AM 40’


Em dezembro de 2015, o violoncelista Antonio Meneses deu concerto em Belo Horizonte (MG) com a Filarmônica de Minas Gerais. No programa, havia a primeira apresentação de Divertimento, obra que André Mehmari, pianista de toque camerístico, compusera a convite da orquestra. Nasceu ali o embrião de AM 60 AM 40, álbum dos dois virtuoses, lançado pelo Selo Sesc neste mês de agosto de 2017 no formato de CD.


O título do disco se refere aos 60 anos de vida de Meneses – músico nascido no Recife (PE) e criado na cidade do Rio de Janeiro (RJ) – e aos 40 anos de Mehmari, pianista, compositor, arranjador e produtor musical fluminense, nascido em Niterói (RJ), mas criado em Ribeirão Preto (SP). Neste primoroso álbum em duo, produzido pelo pianista, Meneses e Mehmari se irmanam e põem as técnicas precisas a serviço de repertório que inclui peças do compositor alemão Johann Sebastian Bach (1685 – 1750) e do bandoneonista argentino Astor Piazzolla (1921 – 1992), este representado pelo registro de Le grand tango, composto por Piazzolla em 1982 em tributo ao violoncelista Mstislav Rostropovich (1927 – 2007).


Situado na tênue fronteira entre a música popular e a música erudita, o repertório de AM 60 AM 40 também inclui parceria de Antonio Carlos Jobim (1927 – 1994) com Vinicius de Moraes (1613 – 1980) – Sem você, canção gravada em 1958 pela cantora carioca Lenita Bruno (1926 – 1987) para disco lançado em 1959 pelo selo Festa e dedicado ao cancioneiro da então recém-formada dupla de compositores popularmente conhecida como Tom & Vinicius – e o choro André de sapato novo (1948), criação do compositor, saxofonista e clarinetista André Vitor Corrêa (1888 – 1948).


Contudo, o tema principal de AM 60 AM 40 é a Suíte brasileira, composta por Mehmari especialmente para o disco gravado em 1 e 2 de março deste ano de 2017 no Estúdio Monteverdi, em Ribeirão Preto (SP), cidade natal de Mehmari. A suíte é composta por cinco movimentos de títulos autoexplicativos – Prelúdio, Choro-canção, Frevo, Valsa e Baião – com ritmos que dão amostra da variada riqueza da música do Brasil.


(Crédito da imagem: capa do álbum AM 60 AM 40, de Antonio Meneses e André Mehmari)

Deixe uma resposta