Pioneiro artista gay do Brasil, Edy Star grava com Ney sob direção de Baleiro


Pioneiro artista assumidamente glam e gay da cena musical brasileira que teve a androginia explicitamente exposta na capa e no repertório do primeiro álbum solo, …Sweet Edy… (Som Livre, 1974), o cantor baiano Edivaldo Souza – conhecido pelo nome artístico de Edy Star – gravou com nomes como Caetano Veloso, Filipe Catto e Ney Matogrosso sob a direção musical de Zeca Baleiro.


Diretor musical responsável pela trilha sonora do ainda inédito documentário Antes que me esqueçam, meu nome é Edy Star, Baleiro vai editar disco pelo próprio selo fonográfico, Saravá Discos!, com gravações feitas por Edy com elenco estelar que também inclui a cantora Angela Maria e o próprio Zeca Baleiro.


Com Ney, artista que abriu caminho para o aparecimento de Edy um anos após a explosão do trio Secos & Molhados, o baiano de Juazeiro (BA) cai no suingue malicioso de Peba na pimenta (João do Vale, José Batista e Adelino Rivera, 1957).


(Crédito da imagem: Edy Star no estúdio com Ney Matogrosso em foto do Facebook de Star)

Deixe uma resposta