Hermeto saúda Jobim, Sivuca e Edu Lobo no mundo de sons de CD duplo


Foram 15 anos sem um álbum gravado em estúdio. Mas bastaram oito dias de imersão no estúdio paulista Gargolândia, em fevereiro deste ano de 2017, para que Hermeto Pascoal & Grupo erguessem um universo musical próprio, repleto de tributos a ídolos musicais e a falecidos integrantes da família do Bruxo. O grupo, no caso, é um quinteto formado pelo baterista Ajurinã, o pianista André Marques, o percussionista Fábio Pascoal (filho de Hermeto), o baixista Itiberê Zwarg (desde 1977 na banda) e o músico Jota P. (nos sopros).


Em sintonia com esse universo particular da música do artista alagoano, atualmente com 81 anos, esse grupo está exposto ao lado de Hermeto em fotos reproduzidas na capa, contracapa e encarte do álbum duplo No mundo dos sons, cuja edição em CD – produzida com justificado luxo pelo Selo Sesc – chega ao mercado fonográfico neste mês de agosto de 2017 na imediata sequência da edição do disco nas plataformas digitais.


O álbum No mundo dos sons totaliza 18 composições inéditas, sendo 17 de autoria exclusiva de Hermeto. A exceção é Som da aura, tema de criação coletiva alocado no fecho do primeiro disco com arranjo de Hermeto, criador, aliás, dos arranjos de todas as 18 músicas do disco. A faixa Som da aura é sequência de diálogos dos músicos do grupo, falas transformadas em música pelo alquimista dos sons.


Cada CD apresenta nove músicas. Pilotando arsenal de instrumentos (escaleta, piano, teclados e berrante) e de utensílios tornados instrumentos pelo Bruxo (panela, balde, copo d’água, bacia com mola, colheres, chaleira e apito), Hermeto saúda músicos, compositores e familiares com a liberdade musical que sempre pautou a criação da obra do artista.


Os títulos por vezes explícitos dos temas instrumentais que compõem o repertório autoral do álbum – Carlos Malta tupizando, Forró da gota para Sivuca, Para Miles Davis, Para Tom Jobim, Um abraço, Chick Corea, Viva Edu Lobo! e Viva Piazzolla! – já ajudam o ouvinte a visualizar o painel do vasto universo musical construído por Hermeto e banda ao longo do disco No mundo dos sons.


Contudo, há homenagens de foro mais íntimo. Ilza nova é composição dedicada a Ilza da Silva, mulher (falecida nos anos 2000) com quem o artista conviveu por 46 anos e com quem teve seis filhos. Já Rafael, amor eterno fecha o álbum com declaração de afeto ao falecido bisneto do compositor e multi-instrumentista. Amor e música se afinam no mundo dos sons de Hermeto Pascoal.


(Crédito da imagem: capa do álbum No mundo dos sons, de Hermeto Pascoal & Grupo)

Deixe uma resposta