‘game of thrones’: dragonstone – aquele começo de temporada básico

Vamos combinar que essa estreia da sétima – e penúltima uhu – temporada de “Game of Thrones” nem foi assim a coisa mais empolgante do mundo. Mas só esse climinha que vai tomar as ruas (ou a internet, dá no mesmo) pelas próximas sete semanas, com todo mundo vendo a série junto e comentando junto já é legal o suficiente, não? Eu acho. Então bota seu casaquinho e vamos comentar a Arya causando, uma leve crise no núcleo Snow-Stark e o Ed Sheeran como soldado cantor, porque finalmente o inverno chegou.


* a partir daqui tem spoiler para quem não viu o episódio de estreia da 7ª temporada*

game of thrones cersei jamie - blog legendado


Que belíssima abertura de episódio, com toda aquela galerinha reunida para tomar vinho envenenado. Já estava achando ótimo o velho Frey – quem nem era o velho Frey – ajudando a gente a lembrar quem eles eram, “vocês me ajudaram a matar os Stark no Red Wedding, tão lembrados?”, e aí, tchanan, todo mundo começa a morrer envenenado e, na cena mais legal do episódio, descobrimos que o velho Frey é na verdade nossa querida vingadora juvenil Arya Stark! Yay! O Norte se lembra!


(Aliás, obrigada HBO pelo “previously” antes do episódio, porque já fazia muito tempo que a gente não via a série.)


E depois, em sua caminhada rumo a Porto Real, Arya ainda faz amizade com o Ed Sheeran e os soldados fofinhos, fica meio bebinha e revela seu plano de matar a rainha Cersey – mas todo mundo acha que é uma piada. Tolinhos.


Por falar em Cersei, adoro que ela manda pintar no chão um mapinha dos reinos todos pra gente também poder se localizar – fora que tem muito mais impacto ela falar “inimigos ao norte, ao oeste, ao leste” enquanto caminha pelo mapa, né. Ela tem noção de cena.

E a rainha, única de seu nome, ainda foi pedida em casamento pelo tal Greyjoy que apareceu do nada na temporada anterior mas age como estivesse na série desde sempre. Se liga. Foi impressão minha ou ele acha que vai poder matar o Tyrion como presente pra rainha? Nem vem. Fora que o Jamie já tá ligado que a irmã/amante está mais surtada do que nunca e mais malévola também.


Aí tivemos o Sam, um pouco mala, isolado lá na biblioteca, numa sequência linda e nojenta de cocô e feijão, talvez a cena mais bacana do episódio. Só foi um pouquinho forçado ele entrar facinho na biblioteca proibida, roubar o primeiro livro que achou pela frente e bem lá ter um mapinha que mostrava a mina (ou sei lá como chama) de vidro de dragão, justamente o que precisamos para matar os Outros (adoro os Outros), que agora têm até um gigante zumbi. Mas o diálogo dele com um dos mestres foi bom, né? “O inverno já veio, já passou, todo mundo sobreviveu, vai sobreviver de novo, tá tudo certo, pesa esse fígado aí pra mim”.Ah, e teve o Sam conhecendo o Jorah (ou o braço dele)!


Voltemos agora para o norte, onde os irmãos/primos/meio-irmãos Jon Snow e Sansa se desentendem na frente de todo mundo quando estão tentando comandar… Climão. Jon, sabemos, é nobre e de bom coração mas um pouco bundão. Sansa, coitada, já passou por tanta coisa nessa vida, incluindo dois casamentos abusivos e um estágio forçado com Cersei, com quem disse ter aprendido muito… Hum. Sei. Acho que o Jon Snow devia ouvir a irmã. Só acho. E adoro a Sansa sem o menor saco para o Little Finger mas precisando de seu exército.


E aí teve a galerinha da nova geração dos reinos jurando fidelidade a Jon Snow, a pequena Lady Mormont com suas frases bombantes ( daqui a pouco já vai ficar um pouquinho forçado a menina só abrir a boca para falar frases bombantes feministas. Já entendemos que ela é f*dona. Mas eu assistiria a um “Game of Thrones – a nova geração” protagonizado por ela, fácil).

Também teve o Bran, que a essa altura já tem uns 18 anos, metade deles passados sendo arrastado pela neve, coitado, que finalmente chegou na muralha.

No fim, aquela ceninha cheia de pompa e dragões da Danyeres chegando com sua entourage a Dragonstone e só. Vou ser honesta: entendo o significado todo que tem ela voltando para sua terra, mas tá meio difícil de aturar a mother of Dragons mais uma vez fazendo cara de messias botandinho a mão na areia e pensando vou dominar tudo nasci para reinar. Vamos fazer alguma coisa de concreto, vai. Tyrion, contamos com você.

Enfim. Foi legal e tal, mas já vimos episódios melhores, né? É aquela história: tem tanta gente, tanta coisa acontecendo na série que eles gastam um sétimo da temporada só para mostrar onde está todo mundo… E agora faltam seis. Partiu.

Deixe uma resposta