Capa de ‘Sinais do sim’ amplia diálogo dos Paralamas com as artes plásticas


O 21º álbum do grupo carioca Paralamas do Sucesso, Sinais do sim, expõe na capa a escultura Já fui jarro, do artista plástico carioca Jorge Velloso Borges Leão Teixeira, conhecido como Barrão. A capa amplia o diálogo do trio com as artes visuais, remetendo de imediato ao álbum lançado pelos Paralamas em 1998, Hey na na, cuja capa também expôs obra do mesmo Barrão. Esse diálogo, aliás, começou a ser travado pelo grupo no álbum Severino (1994), cuja capa estampou obra do artista sergipano Arthur Bispo do Rosário (1909 ou 1911 – 1989).


Com projeto gráfico assinado pela Tecnopop, o álbum Sinais do sim chega ao mercado fonográfico em 4 de agosto de 2017, em edição da Universal Music. Majoritariamente inédito e autoral, o repertório inclui o rock-balada que dá nome ao disco, Sinais do sim (Bi Ribeiro, Herbert Vianna e João Barone), faixa já disponível como single nas plataformas digitais, além das regravações do rap português Medo do medo (Capicua, 2012) e do rock argentino Cuando pase el temblor (Gustavo Cerati, 1985).


(Crédito da imagem: capa do álbum Sinais do sim, do grupo Paralamas do Sucesso)

Deixe uma resposta