Eis o que se sabe sobre o primeiro CD de inéditas de Chico em seis anos


Chico Buarque já lançou outros discos na era das redes sociais. Mas o álbum de inéditas que o cantor, compositor e músico carioca vai apresentar no fim de agosto é o primeiro após a radical polarização do Brasil diante dos acontecimentos políticos dos últimos meses – o que certamente tornará o disco alvo de comentários passionais na web por conta das posições do artista nesse cenário explosivo.


Como já é praxe em torno da obra musical e literária de Chico, o álbum tem sido feito de forma sigilosa. Notas tem sido passadas estrategicamente pela assessoria do artista para colunas de jornais, revistas e sites com informações rarefeitas. Mas pouco ainda se sabe sobre o disco. Eis, por ora, o que se sabe sobre o primeiro álbum de músicas inéditas do artista desde Chico (2011), lançado há seis anos:


* O título do disco seria Caravanas, possivelmente também o nome de uma das músicas inéditas do repertório inteiramente autoral.


* O álbum será distribuído pela gravadora Biscoito Fino, companhia fonográfica brasileira que edita os discos de Chico Buarque desde Carioca (2006). Se mantido o atual cronograma, o álbum será lançado no fim de agosto de 2017, nos formatos de CD e em edição digital.


* Diferentemente de outros discos do artista, o álbum foi sendo gravado na cidade do Rio de Janeiro (RJ), no estúdio da gravadora Biscoito fino, na medida em que o compositor ia finalizando as músicas inéditas.


* A banda arregimentada para o álbum inclui o baixista Jorge Helder – visto com Chico no estúdio da gravadora Biscoito Fino na foto de Leo Aversa – e o violonista Luiz Cláudio Ramos, diretor musical do disco. Se Chico repetiu a escalação do último álbum de estúdio, o baterista seria Jurim Moreira, já que Wilson das Neves costuma tocar com Chico nos shows.


* Se nenhuma música for acrescentada na reta final da gravação do disco, o repertório contabilizará sete composições inéditas e duas regravações de títulos do cancioneiro autoral de Chico, ambos ainda inéditos na voz do cantor. Samba para João (Chico Buarque e Wilson das Neves, 2013) e Fora de hora (Dori Caymmi e Chico Buarque, 2002) são possibilidades dentro da obra composta por Chico no século XXI.


* Chico vai aparecer na capa do disco em foto de Leo Aversa.


* Na sequência do lançamento do álbum, Chico fará turnê pelo Brasil com show baseado no repertório de Caravanas.

Deixe uma resposta