Em álbum com a voz de Daniel Jobim, Pizzarelli celebra LP de Tom e Sinatra


Não é por acaso que Daniel Jobim, neto de Antonio Carlos Jobim (1927 – 1994), tem o nome estampado com destaque na capa de álbum recém-lançado pelo guitarrista norte-americano de jazz John Pizzarelli. Embora seja melhor pianista do que cantor, Daniel solta a voz – evocativa do canto do avô – na maioria das faixas do álbum Sinatra & Jobim @ 50 (Concord Jazz).


Como o título do disco já sugere, Pizzarelli celebra os 50 anos do álbum Francis Albert Sinatra & Antonio Carlos Jobim (Reprise, 1967), cuja edição comemorativa desses 50 anos acaba de ser editada no mercado fonográfico brasileiro pela gravadora Universal Music com duas faixas-bônus.


Em Sinatra & Jobim @ 50, tem-se a (boa) impressão de ouvir a voz de Tom quando Daniel Jobim canta músicas como o afro-samba Água de beber (Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes, 1961) e canções como Bonita (Antonio Carlos Jobim, 1964) e Dindi (Antonio Carlos Jobim e Aloysio de Oliveira, 1959) – a primeira em bom português e as duas últimas nas versões em inglês com que foram lançadas nos Estados Unidos na década de 1960.


Para gravar o disco, Pizzarelli abriu mão de arranjos orquestrais e arregimentou o baterista Duduka Fonseca e o pianista Hélio Alves, músicos brasileiros que dominam tanto o idioma do jazz como a linguagem refinada do cancioneiro de Jobim.


Embora o disco seja um tributo ao histórico LP de 1967, Pizzarelli extrapola o repertório do álbum de Jobim com Sinatra, apresentando duas músicas inéditas e regravando afetivamente Two kites (Antonio Carlos Jobim, 1980), música que Tom lançou no álbum Terra Brasilis (1980) com o toque da guitarra de Bucky Pizzarelli, pai de John.


(Crédito da imagem: capa do álbum Sinatra & Jobim @ 50, de John Pizzarelli)

Deixe uma resposta