Maria Rita refaz ‘Aquarela do Brasil’ nos tons da Didá em gravação ao vivo


Samba que figura entre os dez maiores clássicos da música brasileira, Aquarela do Brasil (Ary Barroso, 1939) ganhou os tons percussivos da Didá Banda Feminina na gravação ao vivo do show inédito com que Maria Rita celebra 15 anos de carreira. O cantor carioca Zeca Pagodinho também participou do registro do show que estreou anteontem, na cidade de São Paulo (SP).


O grupo baiano entrou em cena no medley em que a cantora paulistana emendou Aquarela do Brasil com Querelas do Brasil (Mauricío Tapajós e Aldir Blanc), samba que deu título a álbum lançado pelo grupo feminino Quarteto em Cy em 1978, um ano depois de Elis Regina (1945 – 1982) ter apresentado a música no roteiro do show Transversal do tempo, estreado pela cantora gaúcha em novembro de 1977 na cidade natal de Porto Alegre (RS).


Maria Rita já havia cantado o samba do compositor mineiro Ary Barroso (1903 – 1964) com a banda Didá em janeiro deste ano de 2017, numa das edições do Sarau du Brown, evento promovido anualmente por Carlinhos Brown na temporada pré-carnavalesca da cidade de Salvador (BA).


A gravação ao vivo do show de Maria Rita aconteceu na noite de sexta-feira, 7 de julho, em apresentação na casa Citibank Hall, na cidade de São Paulo (SP). O roteiro incluiu música inédita de Marcelo Camelo entre composições também inéditas de Davi Moraes, assinadas com diversos parceiros. Dividido em cinco blocos, o show foi gravado pela cantora para gerar DVD e CD ao vivo. O compositor e percussionista carioca Pretinho da Serrinha assina a produção musical ao lado de Maria Rita.


(Crédito da imagem: foto extraída de vídeo do YouTube)

Deixe uma resposta