Na pele de ‘Stratoman’, guitarrista lança disco com trilha de filme fictício


Em 2014, o compositor, guitarrista e produtor musical carioca Sergio Diab lançou o primeiro álbum solo, Stratoman. De lá para cá, Stratoman virou espécie de alter-ego de Diab, aludindo ao fato de o músico tocar guitarra do modelo fender stratocaster. Tanto que, decorridos três anos, Diab incorpora o epíteto Stratoman no nome artístico exposto na capa do segundo álbum do artista, Siempre true – siempre blue, recém-lançado em edição independente.


A ideia de Diab é a de que os dez temas do disco ecoem para o ouvinte como a trilha sonora de um imaginário filme do gênero western spaghetti, cuja trama situada em 1895 é centrada na erotizada e sangrenta história do amor entre um justiceiro conhecido como W.J. e uma prostituta que atende pelo nome de Soledade.


A propósito, Spaghetti é o nome da primeira das dez músicas do álbum, cujo repertório autoral inclui temas como Cabronita, Forastero, Justiciero e La carioca (única música feita por Diab em parceria – no caso, com Paulo Mosmann), alguns batizados em portunhol bem particular.


Os toques de músicos como Altair Martins (acordeom e trompete), Bruno Wanderley (bateria), Humberto Barros (teclados), Lui Coimbra (charango), Sacha Amback (teclados) e Wlad Pinto (baixo) se harmonizam com o som da guitarra de Diab na trilha deste filme fictício.


O encarte da edição em CD de Siempre true – siempre blue reproduz ilustrações criadas por Humberto Barros como cenas do filme criado na mente de Sergio Diab, vulgo Stratoman.


(Crédito da imagem: capa do álbum Siempre true – siempre blue, de Sergio Diab. Arte de Julia Debasse)

Deixe uma resposta