Phoenix volta ao Brasil dividido entre danceterias italianas e atentados na Europa: ‘Sonho com outro mundo’

“Existem ondas na indústria da música, e cada moda dura certo tempo. Às vezes, as músicas das paradas têm mais guitarra, mais batidas, são mais urbanas… Sempre foi assim”, atesta. “Agora o R&B está mais forte e criativo, mas há 10 anos a inovação parecia estar nos indies. A gente vive em um mundo que produz duas ou três boas canções por ano. O resto é merda”, finaliza, rindo.

Deixe uma resposta