Bob Dylan fala sobre Nobel em texto: ‘Músicas são diferentes de literatura’

“Eu tinha princípios, sensibilidade e uma visão informada do mundo. Aprendi tudo na escola de gramática. Com ‘Dom Quixote’, ‘Ivanhoé’, ‘Robinson Crusoe’, ‘As viagens de Gulliver’, ‘Uma história em duas cidades’ e todo o resto – leituras típicas da gramática que lhe dão uma maneira de ver a vida, a compreensão da natureza humana e um padrão para medir as coisas. Peguei tudo isso comigo quando comecei a compor letras. E os temas desses livros entraram em muitas de minhas músicas, seja conscientemente ou sem intenção. Eu queria escrever músicas contrárias a qualquer coisa que as pessoas há tinham ouvido, e esses temas eram fundamentais.”

Deixe uma resposta