Banda DigZin usa reggae para resgate histórico e cultural de Cabedelo, na PB

“Começou em um ensaio dentro do Forte. Cada um dos integrantes foi mostrando um pouco da nossa cabedelidade e demos um mergulho no século XVI, nas margens do Rio Paraíba. Eu fiz uma pesquisa, ouvindo historiadores e moradores mais antigos da cidade e colocamos isso na música. Então nós temos lá a Nau Catarineta, os Tambores do Forte, a Ruína dos Almagres, os Dançantes e Brincantes, a Lapinha, o Coco de Roda de Dona Têca, várias coisas de Cabedelo que muita gente mora na cidade e não conhece. A ideia de Cabo de Terra é perpetuar esses elementos, mostrar que nossa cidade é um celeiro cultural”, explica Noé.

Deixe uma resposta