Salma Hayek critica machismo e defende igualdade de gênero, no Festival de Cannes

“Era a única mexicana e latina na escola de arte dramática, com exceção de Benicio del Toro, que é porto-riquenho, ou seja, meio americano, e é homem. Ninguém ria dele. Também riam de mim no México. Assim como todos os agentes e todos os estúdios” de cinema, acrescentou.

Deixe uma resposta