Filme sobre combate à Aids e drama familiar são favoritos em Cannes

Faltando apresentar sete filmes dos 19 na mostra competitiva antes do anúncio do prêmio, no domingo (28), o júri, presidido pelo espanhol Pedro Almodóvar, poderia anunciar um veredicto bem diferente daquele dos prognósticos da imprensa. Foi assim no ano passado, com a premiação de “Eu, Daniel Blake”, de Ken Loach, enquanto todas as apostas indicavam “Toni Erdmann”, da alemã Maren Ade.

Deixe uma resposta