É reeditado o álbum de 1979 com o qual Moraes sacudiu o chão da praça


Reza lenda da música brasileira que, ao ver uma mulata descendo uma rua com toda a bossa da mulher nacional, João Gilberto teria sentenciado: “Lá vem o Brasil descendo a ladeira”. O fato é que a expressão batizou uma das melhores músicas feitas pelo cantor e compositor baiano Moraes Moreira com o parceiro Pepeu Gomes, colega de Moraes no grupo Novos Baianos. O samba Lá vem o Brasil descendo a ladeira batizou o quarto álbum solo de Moraes. Lançado em 1979 pela gravadora Som Livre, o álbum ganha (mais uma) edição em CD neste mês de maio de 2017.


A capa em formato digipack é o diferencial desta atual edição para as anteriores edições produzidas por Charles Gavin (para esmerada coleção editada em 2006 com títulos do catálogo da Som Livre) e por Marcelo Fróes (para a caixa Moraes Moreira – Anos 70, posta no mercado fonográfico em 2014).


Lá vem o Brasil descendo a ladeira é uma das obras-primas da discografia solo de Moraes Moreira. Trata-se de disco carnavalesco que amplificou o som elétrico do artista e que – em músicas como Chão da praça, hit do repertório autoral – antecipou o som que seria rotulado como axé music na década de 1980. Chão da praça é composição feita por Moraes com o poeta e letrista cearense Fausto Nilo, com quem o baiano abrira parceria no álbum anterior, Alto falante (1978). Em Lá vem o Brasil descendo a ladeira, Nilo também é coautor de Coração nativo (com adesão de Armandinho) e Som moleque, músicas que reforçam o tom alegre do disco gravado com produção dirigida por Guto Graça Mello.


Outra parceria iniciada no disco de 1978, com o também poeta Abel Silva, é desenvolvida em Lá vem o Brasil descendo a ladeira na faixa Feito Muhammad Ali. Já Jorge Mautner é o parceiro de Pelas capitais. Com o álbum, de excelente qualidade técnica e artística, Moraes Moreira sacudiu o chão da praça e, na contramão do Brasil, subiu ladeira rumo à consagradora década de 1980.


(Crédito da imagem: capa do álbum Lá vem o Brasil descendo a ladeira, de Moraes Moreira)

Deixe uma resposta