‘A bicha não volta pro gueto nem a mulher pra cozinha ou o negro pra senzala’, diz Laerte, protagonista de documentário

Tornou-se de fato pública a partir de sua primeira entrevista sobre o assunto, em 2010, quando foi fotografada já de cabelos longos, maquiagem e roupas femininas – época em que a personagem Hugo, um alter-ego de Laerte, também passou a ser permanentemente Muriel na tirinha. O filme é o ápice de processo até agora.

Deixe uma resposta