Evanescence volta ao Brasil e aposta em nostalgia para tour mundial; banda falou com G1

“A maior pressão, hoje, vem de mim mesma. Se noto que não estou sendo produtiva, fico deprimida. Mas a produção pode ser em música, em pintura, qualquer coisa. Essa pressão interna é mais forte que a gravadora, a mídia, os fãs. Hoje, eu consigo sentir o apoio dos fãs como um apoio, mesmo, e não como pressão.”

Deixe uma resposta