Titãs lançam música sobre estupro e assédio enquanto criam ópera-rock


“Me estuprem / A culpa é toda minha / Me desculpem / Por me vestir assim / Me estuprem / Eu quis sair sozinha / Me desculpem / Por estar falando em mim”. Cantados por Sergio Britto ao violão, os irônicos versos iniciais da inédita balada Me estuprem – música apresentada ao público na estreia nacional do novo show dos Titãs, Uma noite no teatro, na noite de ontem, 13 de abril de 2017, em teatro da cidade de São Paulo (SP) – abordam tema atualíssimo no momento em que o assédio sexual de mulheres por homens é um assunto em pauta na sociedade brasileira. Os Titãs estão lançando neste show outras músicas inéditas, como 12 flores amarelas (mix de tango e rock cantado por Branco Mello com Sérgio Britto) e A festa (funk-rock cantado por Branco Mello).


Enquanto continua em cena com o recém-estreado show, o grupo paulistano arquiteta ópera-rock preparada por Branco Mello, Sergio Britto e Tony Bellotto (os três remanescentes da formação clássica da banda) com os dramaturgos Hugo Possolo e Marcelo Rubens Paiva. A ópera-rock está sendo criada com o auxílio do baterista Mario Fabre e do guitarrista Beto Lee, músicos incorporados à banda em 2016, a partir da saída amigável de Paulo Miklos.


O anúncio da ópera-rock dos Titãs é feito 40 anos após Odair José ter lançado em disco a primeira ópera-rock do universo pop nacional, O filho de José e Maria (1977), trabalho rejeitado pelo público que consumia as habituais canções populares do artista goiano.


(Crédito da imagem: Titãs no palco do Teatro Opus em foto de Silmara Ciuffa)

Deixe uma resposta