‘Una’ é uma espécie de ‘Lolita’ para a época da pós-verdade

Rooney Mara é Una, uma jovem misteriosa, vivendo num subúrbio qualquer da Inglaterra com sua mãe. Já na primeira cena a vemos numa balada, onde acaba transando com um desconhecido no banheiro. O filme, logo de cara, mostra o pouco apreço que ela tem pelo sexo. Para ela, é mais um instinto, uma necessidade fisiológica do que qualquer outra coisa. Quando a narrativa retrocede, vemos a personagem-título ainda aos 13 anos (Ruby Stokes) dizendo seriamente para uma câmera: “Ray, por que me abandonou?”. Trata-se do julgamento do homem que a molestou (Ben Mendelsohn) e, sem que ela tenha acesso à sala onde a audiência acontece – preservada num outro recinto longe do olhar do criminoso –, desesperada, ela confessa o seu amor.

Deixe uma resposta