Antologia festeja os 15 (que já são 16) anos de Nicolas Krassik no Brasil


Radicado desde setembro de 2001 no Brasil, mais especificamente na cidade do Rio de Janeiro (RJ), onde se enturmou no universo do samba, do choro e da música nordestina, o violinista francês Nicolas Krassik celebrou em 2016, com show, os 15 anos em solo nacional. Lançada neste mês de abril de 2017, através da gravadora Rob Digital, a coletânea Antologia – 15 anos de Brasil prolonga, com 13 gravações, a celebração da data quase redonda, pois, a rigor, o músico já está no Rio há 16 anos. A seleção reúne fonogramas dos álbuns Na Lapa (2004), Caçuá (2006), Nicolas Krassik e Cordestinos (2008), Odilê odilá – Nicolas Krassik interpreta João Bosco (2009) e Nordeste de Paris (2014).


Antologia ignora somente o último álbum do artista, Nicolas Krassik – Mestrinho (2016), gravado com o acordeonista sergipano Mestrinho e lançado no ano passado. Apresentada pelo violonista e produtor musical Luís Filipe de Lima em texto reproduzido no encarte da edição em CD da boa compilação, Antologia rebobina gravações de músicas como Corsário (João Bosco e Aldir Blanc, 1975), Deixa a menina (Chico Buarque, 1980), Caçuá (João Lyra e Maurício Carrilho, 2003) e Nordeste de Paris (Nicolas Krassik, 2014), entre outras.


(Crédito da imagem: capa do CD Antologia – 15 anos de Brasil, de Nicolas Krassik. Projeto gráfico de Grama Design Estratégico)

Deixe uma resposta