Vice no ‘The voice’, Ayrton lança disco em que canta Cartola, Caetano e Lula


Vice-campeão da temporada de 2015 do programa The voice Brasil (TV Globo), no qual se impôs sobretudo com elogiada interpretação de Cálice (Chico Buarque e Gilberto Gil, 1973), o cantor pernambucano Ayrton Montarroyos lança em 7 de abril o primeiro álbum. Disco arquitetado pelo artista desde 2013, um ano após ter sido revelado ao participar de disco em tributo ao centenário de nascimento de Luiz Gonzaga (1912 – 1989) com gravação de Riacho do navio (Luiz Gonzaga e Zé Dantas, 1955), o álbum intitulado Ayrton Montarroyos tem produção assinada por Thiago Marques Luiz, também piloto do tributo triplo ao Rei do Baião com o qual o cantor – nascido no Recife (PE) há 21 anos – debutou no mercado fonográfico.


Gravado sob direção musical do guitarrista Rovilson Pascoal, o disco já tem o singleE então (de autoria do compositor Tiné, integrante da Academia da Berlinda) disponível nas plataformas digitais. Na próxima sexta-feira, 31 de março, outro single, com Portão, música inédita do compositor pernambucano Lula Queiroga, chega à web. O estupendo time de arranjadores é formado por Arthur Verocai, Diogo Strauz, Yuri Queiroga, Vitor Araújo, Zé Manoel, Vinícius Sarmento e o próprio Rovilson Pascoal.


O álbum contabiliza 11 músicas, incluindo inéditas de Zé Manoel (o bolero Tu não sabias?), Zeca Baleiro (À porta do edifício) e do próprio Ayrton (Do outro lado), compositor bissexto. Ao longo do disco, o cantor se exercita como intérprete ao regravar Alto lá (Arlindo Cruz, Sombrinha e Zeca Pagodinho, 2000), Diariamente (Paulo César Gyrão e Gerson, 1972), Não me arrependo (Caetano Veloso, 2006) – pungente canção de Caetano coincidentemente também incluída pela cantora e atriz Laila Garin no repertório do vindouro primeiro álbum da artista baiana – e Que sejas bem feliz (1975), joia rara do cancioneiro do compositor Cartola (1908 – 1980) lapidada originalmente na voz da cantora mineira Clara Nunes (1942 – 1983) no álbum Claridade (1975).


Gravado entre junho e outubro de 2016, nos estúdios Parede Meia de São Paulo (SP) e Gigante de Pedra do Rio de Janeiro (RJ), o primeiro álbum de Ayrton Montarroyos também traz no repertório as músicas Tudo em volta de mim vira um vão (Ângelo Souza, o Graxa, 2014) e Vamos ficar sol (Tibério Azul e Ângelo Mongiovi, 2011), ambas já gravadas, mas ainda pouco conhecidas e ouvidas pelo Brasil.


(Crédito da imagem: Ayrton Montarroyos em foto de divulgação de Luan Kardoso)

Deixe uma resposta