Como vinho, Peranzzetta celebra 70 anos em disco ao vivo que tem Leny


Nascido em 21 de abril de 1946 no bairro carioca de Braz de Pina, o pianista Gilson Peranzzetta subiu ao palco da Sala Cecília Meirelles, na cidade natal do Rio de Janeiro (RJ), seis dias antes de festejar 70 anos de vida. Na ocasião, em 15 de abril deste ano de 2016, o arranjador e produtor musical fez um show comemorativo das sete décadas de vida (sendo cinco dedicadas à música) com as participações de convidados como João Senise, Leny Andrade, Mauro Senise, Quarteto Radamés Gnattali e Valéria Lobão. Gravado ao vivo, o show gerou o primoroso álbum Como vinho – 70 anos, produzido pelo próprio Peranzzetta e lançado neste mês de dezembro de 2016 pela gravadora Fina Flor.

Como os vinhos das melhores safras, Peranzzetta se confirma no disco um dos maiores pianistas e arranjadores do mundo – dom superlativo já ressaltado pelo maestro norte-americano Quincy Jones, como conta o texto (não assinado) reproduzido no encarte da edição física em CD de Como vinho – enquanto celebra as origens cariocas ao tocar ao piano, com precisão, Braz de Pina, meu amor, entre outros temas autorais como Paisagem brasileira (música-título do álbum lançado por Peranzzetta em 1986, do qual vem também Como vinho, composição que batiza o atual disco), Cantos da vida (música-título de álbum de 1988) e Dois na rede (outro tema deste disco autoral de 1988).

Parceiro de Peranzzetta em série de discos gravados em dupla, o saxofonista e flautista Mauro Senise entra em cena quando o anfitrião toca o Prelúdio das Bachianas brasileiras nº 4 (Heitor Villa-Lobos, 1941). Cinco números depois, Mauro se encontra com o filho, o cantor João Senise, em Sorriso de luz (Gilson Peranzzetta e Nelson Wellington, 1997), canção que Peranzzetta gravou originalmente com a voz emblemática do cantor Djavan.

Ainda dentro do universo das canções, Leny Andrade faz As rosas não falam (Cartola, 1976) desabrochar com toda a beleza lírica do tema. Outra cantora, Valéria Lobão, entra em cena para interpretar Vivência (Gilson Peranzzetta, Dori Caymmi e Paulo César Pinheiro, 2011), música lançada pela própria cantora há cinco anos no álbum Chamada (2011). O número é um dos cinco feitos com a adesão do Quarteto Radamés Gnattali neste disco que reitera o requinte da obra de Gilson Peranzzetta como compositor, pianista, arranjador e produtor.

(Crédito da imagem: capa do CD Como vinho – 70 anos. Gilson Peranzzetta em foto de Márcia Moreira. Projeto gráfico de Vivian Faingold)

Deixe uma resposta