Sharon Jones sofreu derrame ao ver vitória de Trump nos EUA, diz baixista

A cantora Sharon Jones (Foto: Divulgação/Cole Haan)Cantora Sharon Jones lutava contra um câncer  (Foto: Divulgação/Cole Haan)

A cantora de soul Sharon Jones, que morreu aos 60 anos na sexta-feira (18), sofreu um derrame dez dias antes enquanto assistia a apuração das eleições nos EUA, disse Gabriel Roth, baixista e produtor da banda que a acompanhava, Dap Kings, ao “Los Angeles Times”. A cantora lutava contra um câncer no pâncreas.

A cantora foi levada ao hospital no dia 8, onde sofreu um segundo derrame no dia 9. “Ela contou às pessoas [no hospital] que foi Trump que deu o derrame à ela”, disse Gabriel Roth.

“Ela estava lutando contra o câncer havia alguns anos, e havia muitas coisas acontecendo com ela. Mas o que a pegou nas últimas semanas foi que ela teve um derrame na noite das eleições”, afirmou Gabriel. Após o segundo derrame, no dia seguinte à eleição, Sharon Jones não conseguia mais falar, segundo o músico.

Sharon nasceu na Georgia, nos Estados Unidos. Cantora desde criança nos corais de igreja das missas dominicais, Jones atingiu a fama depois dos 40 anos. Ela foi descoberta em meados dos anos 1990, ao fazer os vocais de apoio em uma apresentação do cantor Lee Fields. A cantora também fez participações em shows e álbuns de Lou Reed, David Byrne e Fat Boy Slim. Em 1996, lançou seu primeiro álbum.

saiba mais

Enquanto o reconhecimento não chegava, a cantora se virava como podia. Tanto que, por alguns anos, foi conhecida como “oficial Jones”, enquanto trabalhava como guarda na prisão da Ilha Rikers, em Nova Iorque.

Sem saudade da prisão

Ela afirmou, ao G1, que não sentia falta dos dias em que trabalhou como segurança de um carro forte. “A época me ajudou muito a me tornar a mulher que sou hoje, me ajudou a crescer e sou muito grata. Mas eu nunca me peguei pensando ‘nossa, quem me dera ainda ser guarda de prisão'”, disse, rindo.

Ela foi obrigada a dar uma pausa na carreira após receber o diagnóstico com um câncer no ducto colédoco, que faz parte do sistema digestivo. Teve que lutar contra a mesma doença que vitimou sua mãe em 2011.

Mas o afastamento do microfone não significou uma distância do público. A cantora fez questão de compartilhar com os fãs todas as etapas do tratamento. “Achei que era meu dever ser franca e mostrar que é possível superar o câncer. Se eu inspirei pelo menos uma pessoa, já valeu a pena”, contou ela.

Com a doença superada, Jones voltou ao Brasil em 2015 na turnê do seu sexto disco “Give the people what they want”, lançado em 2014, e se apresentou em Porto Alegre, Curitiba, São Paulo e no Rio de Janeiro.

sharon jones (Foto: Flavio Moraes)Sharon Jones em imagem de arquivo (Foto: Flavio Moraes)

 

Deixe uma resposta