Funcionário diz que alertou MC Kauan sobre risco de cancelar show

Um funcionário do Clube Atlético Piracicabano (CAP) que foi depredado por vândalos, após o cancelamento do show do MC Kauan disse que tinha pedido para a equipe do cantor não cancelar o show, pois a reação do público presente seria violenta. “Isso que eu tinha pedido para o cara [MC Kauan] pelo amor de Deus ficar em cima do palco para ajudar nós, que se não tivesse show a negada, já tava imininente que iam depredar o clube. E realmente os caras foram embora e nós deixaram sozinho no salão”.

O funcionário que conversou com a equipe de EPTV na tarde desta segunda-feira (21) e preferiu não se identificar também disse que chamou a Polícia Militar (PM) por várias vezes, mas não foi  atendido. ” E eu peguei e liguei, só do meu celular, de 6 a 8 vezes para a polícia, no 190, só que não apareceu nenhuma viatura. Então eu acho que da parte da polícia foi uma negligência”, diz.

Produção diz que MC Kauan não fez show em Piracicaba por falta de segurança (Foto: Renato Medeiros/Página oficial do MC Kauan no Facebook)Produção diz que MC Kauan não fez show em

Piracicaba por falta de segurança

(Foto: Renato Medeiros)

Em nota divulgada nas redes sociais, Nalva Mariz, da produção de MC Kauan, explicou o motivou que levou o cantor a  cancelar o show. “MC Kauan não se apresentou em Piracicaba pela total falta de segurança a sua produção, mas especialmente ao público presente. Eu estava no local desde a abertura e presenciei as invasões ao baile, a falta de segurança, as invasões na área open bar e camarote e o desrespeito com a equipe de segurança”, afirmou ela na nota.

“Entre outros fatos e acontecimentos que deixaram o evento totalmente vulnerável. Com tudo isso, por volta de 0h30, solicitei à organização que parasse, pois assim evitaria maiores problemas, porém, isso não aconteceu. Desculpem-me, mas pensamos em presamos em primeiro lugar pela segurança de todos”, finaliza a nota.

Já a PM de Piracicaba diz que o show era um evento particulare a segurança é de responsabilidade dos organizadores. E que um equipe da polícia foi até o CAP, mas policiais não tiveram como intervir, pois havia, segundo a PM, por volta de 2.500 pessoas e a intervenção colocaria em risco a vida das pessoas.

saiba mais

 

Deixe uma resposta