Edição comentada de ‘Minha luta’, de Adolf Hitler, é premiada na Alemanha

Edição de 'Mein Kampf' com anotações é exibida em Munique, na Alemanha. Mesmo chamada de 'tediosa', a nova edição da obra de Adolf Hitler está na lista dos mais vendidos da Alemanha há meses (Foto: Matthias Balk/DPA/AFP)Edição de ‘Mein Kampf’ com anotações é exibida em Munique, na Alemanha. Mesmo chamada de ‘tediosa’, a nova edição da obra de Adolf Hitler está na lista dos mais vendidos da Alemanha há meses (Foto: Matthias Balk/DPA/AFP)

A nova edição comentada do livro mais controverso da história alemã, “Minha luta” (“Mein Kampf”), de Adolf Hitler, foi agraciada nesta quinta-feira (17) com o prêmio Sociedade Precisa de Ciência da Associação alemã Leibniz. A polêmica publicação foi lançada em janeiro deste ano pelo Instituto de História Contemporânea (IfZ, na sigla em alemão), baseado em Munique.

saiba mais

“Com essa nova edição crítica e histórica do Minha luta, o historiador Christian Hartmann e sua equipe preencheram uma grande lacuna na pesquisa sobre o nacional-socialismo na Alemanha”, destacou a associação ao justificar a escolha para o prêmio. “A publicação expôs as declarações falsas e enganosas de Hitler, corrigiu erros factuais e incluiu o contexto contemporâneo novo”, acrescentou.

Hartmann e sua equipe receberão 50 mil euros pelo prêmio, que é entregue a cada dois anos e agracia trabalhos científicos de relevância social. A nova edição do “Minha luta” entrou na lista de best-sellers na Alemanha e já vendeu mais de 80 mil cópias.

A edição foi lançada após um minucioso trabalho de análise realizado por historiadores desde 2009. Em dois volumes, a versão comentada tem cerca de 2 mil páginas, quase o dobro do original, incluindo introdução, índice e cerca de 3,5 mil comentários de estudiosos criticando, explicando e refutando a ideologia do ditador nazista.

O trabalho pretendia “desconstruir e contextualizar o que Hitler escreveu”. Segundo os editores, a edição analisa questões históricas, entre elas, sobre como o ditador concebia suas teses, que objetivos ele tinha e, conforme ressalta do IfZ, “o mais importante: que contra-argumentos temos, dado nosso conhecimento atual sobre as propostas, mentiras e alegações de Hitler”.

Até o início deste ano, os direitos autorais da obra pertenciam ao estado alemão da Baviera, o qual proibia novas impressões na Alemanha. Estes expiram 70 anos após a morte do autor e, no caso de Hitler, isso aconteceu no dia 1° de janeiro, quando o livro caiu em domínio público. Dias depois, foi lançada a edição comentada do IfZ.

Entretanto, a publicação de cópias não comentadas de “Minha luta” continua proibida, após uma decisão dos secretários de Justiça dos 16 estados alemães.

Deixe uma resposta