Herdeiros de Prince processam Tidal, serviço de streaming do Jay Z

Prince se apresenta durante o show do intervalo do Super Bowl XLI no Dolphin Stadium, em Miami, em fevereiro de 2007 (Foto: Chris O'Meara/AP/Arquivo)Prince se apresenta durante o show do intervalo do Super Bowl XLI no Dolphin Stadium, em Miami, em fevereiro de 2007 (Foto: Chris O’Meara/AP/Arquivo)
 

PRINCE
Cantor morre aos 57 anos nos EUA

Os beneficiários de Prince processaram o Tidal, aplicativo de música em streaming do rapper Jay Z, e exigem que deixe de divulgar grande parte da discografia do músico falecido em abril deste ano.

Prince, que sempre teve uma relação complexa e às vezes tensa com a indústria musical, havia dado os direitos exclusivos para o lançamento de seu álbum “HITnRUN Phase One” ao Tidal.

Em ação apresentada na terça-feira em um tribunal de Minnesota, estado em que Prince residia, os beneficiários afirmam que o Tidal só tinha este direito exclusivo por 90 dias e, sobretudo, que o contrato não incluía o resto da discografia do gênio do pop.

O Tidal e a empresa Roc Nation de Jay Z não teriam “se comunicado” com os herdeiros para “ampliar a oferta de obras musicais de Prince no serviço Tidal”, lê-se no processo.

O Tidal, serviço que compete e vem ganhando partes do mercado frente a outras companhias, não respondeu imediatamente, mas divulgou intensamente sua exclusividade sobre esse álbum e sobre o resto da discografia.

Falecido por uma overdose acidental de analgésicos, Prince não deixou testamento. Bremer Trust, encarregado dos interesses dos beneficiários, é quem buscar assegurar seus investimentos estáveis e quem negocia com os diferentes selos a futura divulgação da música do cantor.

Deixe uma resposta