GDF anuncia 1,6 mil vagas em nova etapa do programa Jovem Candango

O estudantes Jorge Luiz da Silva, que participou do programa Jovem Candango no DF (Foto: Elielton Lopes/G1)O estudantes Jorge Luiz da Silva, que participou do programa Jovem Candango no DF (Foto: Elielton Lopes/G1)

O governo do Distrito Federal vai oferecer 1,6 vagas na nova etapa do programa “Brasília + Jovem Candango”. O projeto é uma oportunidade de primeiro emprego para jovens de 14 a 18 anos, em situação de vulnerabilidade social, em órgãos públicos do DF.

saiba mais

O programa tem o objetivo de estimular a permanência dos jovens na escola e o primeiro contato com o mercado de trabalho. A meta é também dar capacitação profissional. Para participar, os candidatos devem estar matriculados em escolas da rede pública de ensino do DF e as famílias dos alunos precisam estar inscritas no Cadastro Único do governo.

Interessados podem se inscrever pelo site do programa. Os participantes precisam apresentar documentos como CPF, carteira de trabalho, documento de identidade, comprovante de endereço, declaração escolar e cartões do Cadastro Único e de transporte do DFTrans.

O programa oferece vagas para jovens do sistema socioeducativo, pessoas com deficiência, moradores de áreas rurais e estudantes que participam do programa Bombeiro Mirim. Cada grupo tem direito a 5% das vagas.

Segundo o secretário da Criança, Aurélio Araújo, o programa oferece uma nova perspectiva de futuro aos participantes. “É muito importante o Jovem Candango como instrumento de transformação social na vida desses jovens. Muitos desses jovens acabam se tornando arrimo de família.”

O governador do DF, Rodrigo Rollemberg, durante anúncio de nova etapa do programa Jovem Candango (Foto: Elielton Lopes/G1)O governador Rodrigo Rollemberg, durante anúncio

de nova etapa do programa Jovem Candango

(Foto: Elielton Lopes/G1)

Os beneficiados projeto trabalham quatro horas por dia, no turno contrário ao do período escolar. Eles recebem bolsa-auxílio de dois terços do salário mínimo, carteira de trabalho assinada, auxílio-alimentação de R$ 220, vale-transporte e 13ª salário. O programa existe desde 2013.

O estudante Pablo Henrique, que participou da etapa anterior do programa, disse que o projeto foi importante para a sua vida profissional. “O programa Jovem Candango na minha vida foi o pontapé inicial de uma grande carreira, de um grande futuro. Tudo o que vivi na Secretaria de Saúde foi necessário porque o jovem quando tem oportunidade, agora, de ser alguém, ele se torna alguém melhor no futuro”.

“Assim como eu, diversos jovens terão a oportunidade de conhecer pessoas novas e de estar em lugares que nunca tiveram antes, diz o estudante Jorge Luiz Antunes.

“Essa oportunidade me fez ver como é ser um profissional, como é ter um ofício”, disse a ex-participante Mailza da Silva.

A previsão é de que os contemplados comecem a trabalhar em 1º de dezembro. Cada estudante custa para os cofres do governo R$ 1,04 mil por mês. O contrato dura um ano e quatro meses. O projeto também oferece capacitação teórica uma vez por semana nas instituições executoras — Rede Nacional de Aprendizagem, Promoção Social e Integração (Renapsi) e Obras Sociais Jerônimo Candinho (OSJC).

“Nós não vamos abrir mão daquilo que é prioridade, e a juventude é prioridade. Apesar de toda dificuldade financeira, nós dissemos que vamos continuar e ampliar o Jovem Candango e também aperfeiçoar o programa. É com muito esforço, alegria e emoção que começamos uma nova fase do programa”, disse o governador Rodrigo Rollemberg.

Deixe uma resposta