Zoltán Kocsis, diretor da Orquestra Húngara, morre aos 64 anos

Página oficial da Filarmônica Nacional Húngara exibe imagem de Zoltán Kocsis, diretor da instituição, e anuncia a morte do regente (Foto: Reprodução/Site oficial)Página oficial da Filarmônica Nacional Húngara exibe imagem de Zoltán Kocsis, diretor da instituição, e anuncia a morte do regente (Foto: Reprodução/Site oficial)

Zoltán Kocsis, renomado pianista e diretor de Filarmônica Nacional Húngara, morreu neste domingo (6) em Budapeste, aos 64 anos de idade, informou a orquestra.

Em seu site, a Orquestra publicou uma grande imagem de Zoltán Kocsis, em um fundo preto, e as datas 1952-2016, sem mais explicações.

De acordo com a imprensa húngara, o maestro sofria de problemas cardíacos e em 2012 teve que ser internado para uma delicada operação. Há um mês, Zoltán Kocsis cancelou uma série de concertos, após uma nova intervenção médica.

Nascido em Budapeste, Zoltán Kocsis começou a tocar piano aos três anos de idade e mais tarde foi estudar na Escola Superior de Artes Musicais.

Ganhou vários prêmios ao longo da vida – o primeiro e um dos mais importantes aos 21 anos –, e em 1983 fundou, com o também internacionalmente reconhecido diretor de orquestra Iván Fischer, a Budapest Festival Orchestra.

Em julho de 2015, a Budapest Festival Orchestra esteve no Brasil para uma apresentação no Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

Há poucas horas, o próprio Fischer escreveu em seu Facebook estar profundamente triste com a perda.

“Era um gigante na música, um gênio raro. Sua influência em sua geração foi imensa. Digo em meu nome e no da Budapest Festival Orchestra que estamos muito tristes de dizer adeus. Que descanse em paz”, escreveu o músico.

Zoltán Kocsis atuou por décadas nos maiores festivais de música do mundo, como os de Salzburgo, Praga e Paris. Em todo 30 de maio, quando fazia aniversário, organizava um concerto que tinha 100% do lucro da venda dos ingressos destinado a projetos para crianças carentes.

Deixe uma resposta