‘Guerra Civil’: ‘Gostamos de ver os Vingadores questionados’, diz diretor

 

GUERRA CIVIL
Heróis da Marvel saem na mão em filme

É um filme de super-heróis e de salvar o mundo sim. Mas para Anthony Russo, diretor de “Capitão América: Guerra Civil” ao lado do irmão Joe Russo, ver o grupo dos Vingadores sendo questionados por seus atos é uma das características que mais atraiu a dupla na história em quadrinhos que inspirou a produção. O cineasta deu entrevista ao G1 durante visita ao Brasil em dezembro de 2015, para participar da Comic-Con Experience, em São Paulo. Assista ao vídeo acima.

“Quando você olha para o Terceiro Ato desses filmes [de heróis], sim, eles têm salvado o mundo, defendido pessoas…. Mas também têm causado uma baita destruição. E, em algum momento, isso provavelmente matou alguém”, afirma o diretor. Russo também diz que essa visão mais humana sobre personagens como Capitão América e Homem de Ferro é o que eles buscam em seus filmes, e o que basicamente faz a roda girar.

“Gostamos de personagens que tenham falhas. Porque é aí que as coisas ficam emocionantes. Essas pessoas são muito poderosas e talentosas. Mas elas têm pontos fracos, como todos nós. E quando você encontra um adversário que toca no seu ponto fraco, é aí que as coisas ficam interessantes”, ele conta.

Na conversa com o G1, Anthony falou do seu processo de trabalho com o irmão – “nós praticamente trabalhamos em tudo juntos” – e do futuro da Marvel nos cinemas, que terá influência direta da dupla. Os irmãos Russo estão escalados para dirigir os próximos dois filmes dos Vingadores, previstos para 2018 e 2019.

“É bem difícil pensar muito adiante como um contador de histórias”, diz ele sobre a possibilidade de planejar a longo prazo esse universo, já que está no comando dos principais filmes. “Você sempre quer ficar muito focado no que está acontecendo bem na sua frente. E o quê de mais interessante você pode fazer com aquilo. Você pode se perder se ficar pensando ‘espera aí, eu quero chegar em tal lugar no futuro’. 3:04 3:04 Você pode se enganar sobre quais são as melhores escolhas para o que está na sua frente”.

Estreia do Homem-Aranha

Em outro trecho da entrevista ao G1, publicado em dezembro de 2015 (clique aqui para ler), Anthony Russo confirmou a até então especulada aparição do Homem-Aranha em “Capitão América: Guerra Civil”. Na época, ele disse que acreditava que o público iria se divertir muito com o herói no filme e que o “amigão da vizinhança” é “um sopro de ar fresco”. Modesto, mas muito preciso. Assista ao vídeo acima.

Como o G1 disse em sua crítica do filme, a estreia do aracnídeo no universo cinematográfico da Marvel é um dos pontos mais altos da produção. O jovem Tom Holland, de apenas 19 anos, já é o Homem-Aranha mais espirituoso e bem-humorado dos cinemas, mas sem deixar de lado todo o seu poder e compromisso com aquilo que acredita. O ator traz uma combinação de inocência e empolgação que é contagiante e torna o jovem Peter Parker muito carismático.

“Parte da graça do personagem no filme é que ele não está tão envolvido nessa história complicada que os Vingadores têm um com o outro. Então de certa forma o fato de ele vir de outro ponto de vista, livre disso, é muito empolgante. Dá ao personagem um ponto de vista único no filme, que não está preso a complexidades”, disse Russo.

“Capitão América: Guerra Civil” estreou nos cinemas brasileiros na quinta-feira (28). Nos Estados Unidos, ele chega às telonas só no dia 6 de maio.

Deixe uma resposta