Diálogo é única saída contra tempos bárbaros, diz guitarrista do Sepultura

Banda Sepultura (Foto: Divulgação/ Sepultura)Andreas, guitarrista da banda Sepultura, afirma que o diálogo é fundamental (Foto: Divulgação/ Sepultura)

“Foi um balde de água fria, um tapa na cara do povo”, diz Andreas Kisser, guitarrista da banda Sepultura, sobre o atual momento político vivido pelo Brasil. Em entrevista ao G1, o músico afirmou que diálogo é fundamental, mas tem que ser respeitoso.

“Só assim a gente vai poder evoluir e não voltar aos tempos bárbaros que foram tão constantes na nossa história. É só voltar anos atrás e ver que a intolerância só trouxe desgraça”, afirma Andreas.

Só assim a gente vai poder evoluir e não voltar aos tempos bárbaros que foram tão constantes na nossa história. É só voltar anos atrás e ver que a intolerância só trouxe desgraça”
Andreas Kisser, guitarrista

O músico destacou que o rock sempre quebrou as regras. De Elvis Presley aos Beatles, o gênero mostrou um caminho mais livre, um espaço para protesto e todo tipo de crítica social.

O guitarrista ressaltou ainda que, apesar da popularidade do Carnaval e do sertanejo, foi o rock que representou o momento do fim da ditadura militar, por exemplo.

“O rock e heavy metal são um dos movimentos mais importantes da história da música brasileira. Através do rock em 84, quando o Brasil estava sendo uma ditadura, foram as bandas de rock que apareceram primeiro, não foram bandas de axé, nem de funk, nem de carnaval. Foi o rock brasileiro, através dos Paralamas, do Barão Vermelho, Kid Abelha, entre outros, que subiram ao palco do ‘Rock In Rio’ e fizeram história”, lembra Andreas. 

Sepultura em sua turnê de 30 anos será uma das atrações principais do festival (Foto: Divulgação)Sepultura faz show em Campinas nesta quinta (21)

no Parque Taquaral (Foto: Divulgação)

Pregação

Andreas conta ainda que o Sepultura se expressa politicamente através de suas músicas.

“A gente se expressa através das letras e dos instrumentos. Eric Clapton, Bob Dylan, esses caras revolucionaram o mundo sem armas, sem violência, através da música, sendo arte. Nós não vamos ficar pregando, não somos pastores, a gente é o que é”, diz o músico.

Ele destaca, ainda, que a interpretação das pessoas deve ser livre e que o debate é fundamental para a democracia e que o Brasil vive um momento fértil em meio ao caos.

“É um ‘descredito’ total dos nossos representantes no Congresso, no Senado, a gente viu um show de horrores nessa votação do impeachment. Os nossos representantes estão completamente despreparados e o povo mais ainda”, diz o guitarrista.

A gente se expressa através das letras e dos instrumentos. Eric Clapton, Bob Dylan, esses caras revolucionaram o mundo sem armas, sem violência, através da música, sendo arte. Nós não vamos ficar pregando, não somos pastores, a gente é o que é”
Andreas Kisser, guitarrista

No entanto, Andreas afirmou que, com isso, o povo brasileiro pode dar um passo à frente.

“Em relação a saber o poder que o voto tem, ou não, e como usar esse poder. Acho que tudo é positivo em um momento de caos e incertezas como hoje, saber ouvir e saber se expressar é fundamental, sem ficar elogiando torturados e nem cuspindo na cara do outro”, diz o músico.

Debate

O guitarrista afirma também que, com as informações que a população tem hoje, aumenta também o debate.

“Todo mundo sabe quem é o presidente do Congresso, sendo que pouca gente sabia há pouco tempo atrás. Estamos falando mais de política do que de futebol”, afirma Andreas.

Banda Sepultura (Foto: Divulgação/ Sepultura)A banda Sepultura viaja para a Suécia onde vai gravar novo disco (Foto: Divulgação/ Sepultura)

Despedida em Campinas

Sepultura faz seu último show no Brasil nesta quinta-feira (21), em Campinas (SP), antes de embarcar para Estocolmo, na Suécia, onde vai gravar o novo disco, com produção de Jens Bogren, que trabalhou com Opeth, Kreator, Moonspell, Symphony X, Paradise Lost e Angra.

A banda ainda não divulgou o nome do disco, mas contou que os fãs vão poder acompanhar o processo de finalização do albúm. “Nós vamos divulgar nas nossas redes sociais e site sobre as músicas, letras, a capa, o nome. Os fãs vão se sentir mais perto de cada parte do disco”, explica Andreas.

Nós vamos divulgar nas nossas redes sociais e site sobre as músicas, letras, a capa, o nome. Os fãs vão se sentir mais perto de cada parte do disco”
Andreas Kisser, guitarrista

Além da guitarra distorcida, o Sepultura vai trazer também em seu 14º disco outros ritmos.

“O fã pode esperar o inesperado. Gostamos de usar esses elementos, guitarra distorcida, gritaria. Mas, ao mesmo tempo, melodia, coisas de outros ritmos, principalmente no Brasil. A gente sempre vai ter esses elementos de percussão, estou feliz com o que temos na mão, estamos bem encaminhados”, explica.

O músico ressaltou que, na apresentação em Campinas, a banda vai tocar repertório dos seus 30 anos de história.

“A expectativa para o show é excelente. É fantástico tocar para esse público, tivemos shows muito bons em Campinas, a galera da região curte muito o som. Tudo conspira para ser uma coisa muito boa e que dê aquela energia necessária para entrar no palco com força total”, finaliza.

Serviço

O que: Sepultura em Campinas

Onde: Praça Arautos da Paz – Avenida Doutor Heitor Penteado, s/n, Taquaral

Horário: a partir das 19h30

Preço: grátis

Deixe uma resposta