Rodrigo Santoro diz que ‘Os 33’ pode gerar debate sobre segurança

Rodrigo Santoro vive mais um papel de destaque. No filme “Os 33”, produção americana sobre os mineiros resgatados após 69 dias soterrados em uma mina de cobre no norte do Chile, em uma operação sem precedente na história, ele é o ministro de Minas do país, Laurence Golborne. O filme estreia nesta quinta-feira (29) no Brasil.

saiba mais

Em entrevista ao G1, Santoro conta que chegou a conhecer Golborne e os mineiros em um evento no Palácio de La Moneda, logo que chegaram ao Chile. Alguns dias depois, ele teve a oportunidade de conversar em particular com o político.

“Uma das primeiras coisas que eu falei para ele é que não estava interessado nos trejeitos, em imitá-lo. Não era o objetivo. Eu queria entender como ele lidou com tudo, o que ele sentiu, quantas noites ele ficou sem dormir, as angústias. Tudo o que aconteceu dentro dele. E nesse sentido ele me ajudou bastante. Ele descreveu um pouco das coisas. Eu já tinha estudado, visto documentários e tudo o que pude sobre o que aconteceu”, contou Santoro

Rodrigo Santoro vive Laurence Golborne, ministro de Minas do Chile, em 'Os 33' (Foto: Divulgação/ Os 33)Rodrigo Santoro vive Laurence Golborne, ministro de Minas do Chile, em ‘Os 33’ (Foto: Divulgação/ Os 33)

Cinco anos após os acontecimentos retratados no filme, os mineiros que ficaram soterrados nunca receberam indenização. Santoro considera a impunidade como “uma vergonha” e acredita que a visibilidade do filme pode ajudar a fomentar uma discussão sobre a necessidade de segurança neste tipo de trabalho.

Roteiro é baseado nos relatos dos 33 homens que ficaram soterrados

“Eles não são os únicos, outros acidentes aconteceram. É que essa história comoveu o mundo. Em muitos casos, nem são resgatados. E o que eu espero, e o que a gente espera quando estávamos fazendo esse filme, é que o filme ajude a levar a uma discussão para que se tenha mais segurança, mais vigilância”, pondera o ator.

Tapa de Juliette Binoche

Com um roteiro criado com base nos relatos dos 33 homens que ficaram soterrados, o filme chama a atenção pelo elenco com atores de vários países. Estão lá o espanhol Antonio Banderas, como o mineiro Mario Sepúlveda; o americano Lou Diamond Phillips como Don Lucho, chefe dos mineiros; a mexicana Kate del Castillo, a esposa do personagem de Banderas; o irlandês Gabriel Byrne, o engenheiro Andre Sougarret; e a francesa Juliette Binoche, a Maria Segovia, irmã de um dos mineiros.

Santoro em cena em Os 33 (Foto: Divulgação/ Os 33)Santoro em cena em ‘Os 33’ (Foto: Divulgação)

Santoro diz ter um carinho especial com a francesa. Construíram uma grande amizade no meio do deserto do Atacama.

“Sempre fui grande admirador da Juliette. Eu vi quase todos os filmes que ela fez. Tive a oportunidade de conhecê-la, porque a gente ficou no Atacama, um grande deserto. Ficamos hospedados no mesmo lugar por um mês e meio. E acabamos nos relacionando, fomos a jantares com o Gabriel Byrne, com o Banderas. Foi muito bacana porque a gente quase não conversava sobre cinema, a gente conversava sobre a vida. O Gabriel é um dos caras mais cultos que já conheci. Inclusive ele era professor antes de trabalhar como ator. A Juliette não é só uma grande atriz. Ela é uma grande artista”, elogia Santoro.

A Juliette não é só uma grande atriz. Ela é uma grande artista”
Rodrigo Santoro, ator

Juliette contracena com Santoro em uma das sequências mais marcantes, quando Maria Sepúlveda dá um tapa no rosto de Golborne diante da inicial impossibilidade do resgate dos mineiros. O tapa que o ator leva é de verdade.

“Normalmente a gente faz tapa coreografado, uma pessoa bate, a outra tira o rosto e depois colocam o barulho na edição”, explica. “Tentamos fazer algumas vezes, a diretora não estava satisfeita, não estava funcionando. Eu sugeri para fazermos de verdade”, recorda.

Ele lembra que Juliette foi a primeira a dizer não. Mas ele respondeu com um “imagina, um tapa seu não vai me machucar. Vai ser uma honra”. “Então fomos. Está no filme. Foi de verdade. Funcionou. A diretora ficou superfeliz e nos disse: qualquer coisa pode ser cortada desse filme, menos esta cena. Não porque é um tapa, mas porque ela é simbólica. Ela marca a virada do meu personagem, a transformação dele.”

Rodrigo Santoro ao lado de Gabriel Byrne, que interpreta o engenheiro Andre Sougarret em Os 33. (Foto: Divulgação/ Os 33)Rodrigo Santoro ao lado de Gabriel Byrne, que interpreta o engenheiro Andre Sougarret em ‘Os 33’. (Foto: Divulgação/ Os 33)

 

Deixe uma resposta