Peça que aborda velhice com poesia chega a Ceilândia e Gama, no DF

Os coreógrafos e bailarinos Édi Oliveira e Giselle Rodrigues (Foto: Diego Bresani/Divulgação)Os coreógrafos e bailarinos Édi Oliveira e Giselle Rodrigues, da peça “Fio a fio”

(Foto: Diego Bresani/Divulgação)

A peça “Fio a fio”, que une teatro e dança para fazer uma abordagem poética sobre a velhice, é atração em unidades do Sesc em Ceilândia Norte e no Gama, no Distrito Federal, respectivamente. Estão previstas apresentações às 16h e 20h nos dois locais, com entrada franca.

saiba mais

Antes de chegar às regiões, o espetáculo com a coreógrafa e pesquisadora Giselle Rodrigues e o pesquisador Édi Oliveira estreou no Teatro do Sesc Garagem, na Asa Sul. A ideia da montagem é “tecer a poesia do envelhecer” e tocar com sutileza o “período da vida em que precisamos lidar com o acúmulo dos anos sobre o corpo”.

Este é o primeiro espetáculo que reúne como intérpretes Giselle e Oliveira. “Desde o princípio do processo, buscamos dar ênfase a uma composição que primasse pelo detalhe, pela sutiliza e pela abordagem poética de pontos difíceis e até tabus sobre o processo de envelhecer. Como contraponto, procuramos dar uma poeticidade surgida de um trabalho com a palavra que nasceu do improviso, gerando textos presentes no espetáculo”, afirma Oliveira.

Ele destaca que é a primeira vez que ele e a parceira de cena dançam juntos. “Giselle sempre atuou como coreógrafa e eu como bailarino em trabalhos anteriores. É um encontro que reúne nossas experiências e vivências agora aplicadas num processo criativo coletivo.”

Os coreógrafos e bailarinos Édi Oliveira e Giselle Rodrigues, que apresentam espetáculo de dança e teatro "Fio a fio" (Foto: Diego Bresani/Divulgação)Os coreógrafos e bailarinos Édi Oliveira e Giselle Rodrigues (Foto: Diego Bresani/Divulgação)

A ideia de criar um espetáculo sobre o tema nasceu durante sessões de improvisação que Oliveira e Giselle realizavam como parte de uma pesquisa sobre processo de criação.

“Foi brotando o desejo de falar sobre como e quando começamos a envelhecer, quando o corpo começa a não realizar atividades que antes eram simples. Meu próprio corpo é reflexo disso. Voltar a dançar após 20 anos fora dos palcos, período utilizei os intérpretes como elementos nas minhas coreografias, é uma redescoberta e um aprendizado sobre esse novo corpo, que também envelhece a cada dia”, afirma Giselle.

Fio a fio – com os coreógrafos e bailarinos Giselle Rodrigues e Édi Oliveira

Local: Teatro Newton Rossi – Sesc Ceilândia

Endereço: QNP 5, conjunto B, S/N – Ceilândia Norte

Data: 4 de novembro

Horários: 16h e 20h

Entrada franca

Local: Teatro Paulo Gracindo – Sesc Gama

Endereço: Setor Leste Industrial

Data: 11 de novembro

Horários: 16h e 20h

Entrada franca

Deixe uma resposta