Francês mistura imagens do Rio em obras que lembram esculturas; fotos

A imagem ganhou várias releituras. Aqui, ela aparece dentro da Catedral Metropolitana do Rio. (Foto: Divulgação/ Hiperfoto-Rio)Cristo Redentor foi misturado com várias referências do Rio. Neste caso, ele aparece dentro da Catedral Metropolitana. (Foto: Divulgação/ Hiperfoto-Rio)

O fotógrafo francês Jean François Rauzier é internacionalmente conhecido por fotografar cidades de uma maneira muito particular. Por meio de manipulação digital, ele une paisagens que, até então, seria impensável que estivessem juntas. O resultado final é semelhante a uma escultura, onde as imagens ganham volume. Em homenagem aos 450 anos do Rio de Janeiro, Rauzier esteve pela primeira vez na cidade. O resultado pode ser visto na exposição Hiperfoto-Rio, em cartaz no Museu Histórico Nacional entre 18 de agosto e 20 de setembro.

saiba mais

“É uma sorte ter esta exposição aqui, pois quando o artista realiza retratos das cidades, ele as valoriza com o seu olhar, deixando evidente as suas qualidades”, conta o também francês Marc Pottier, curador da exposição.

As imagens que deram origem a exposição foram capturadas em outubro de 2014. Mas o projeto faz parte de uma iniciativa maior. O fotógrafo clicará todas as cidades que foram capitais administrativas do país. Atualmente, ele viaja por Brasília e também irá para Salvador. Depois, ele passará pela cidade de São Paulo, por ser considerada a “capital econômica” do país. O trabalho durará até 2017.

O Real Gabinete Português de Leitura foi fotografado por Jean François Rauzier. (Foto: Divulgação/ Hiperfoto-Rio)O Real Gabinete Português de Leitura foi

fotografado por Jean François Rauzier.

(Foto: Divulgação/ Hiperfoto-Rio)

A mostra apresenta 31 imagens que misturam paisagens, a arquitetura e outros espaços que para a maioria dos cariocas são corriqueiros, mas que encantaram o francês. “Ele se encantou e pediu para fotografar os prédios do Ministério da Fazenda e o da Polícia Federal. É curioso porque é um retrato muito pessoal de uma pessoa que nunca esteve aqui”, afirma Pottier.

Para o curador, o trabalho mostra uma cidade que está renascendo com os eventos que vem sediando nos últimos anos. “Ele encontrou a vibração de uma cidade viva, em processo de renascimento. Ele fotografou muitos grafites, o que mostra a jovialidade deste momento”.

A exposição que acontece no Museu Histórico Nacional conta ainda com a realização de uma obra conjunta, que será feita com a ajuda dos brasileiros. Quem quiser ajudar pode mandar a sua foto para o site da exposição, que contém as regras. Serão aceitas contribuições vindas de todo o país até o final da exposição, no dia 20 de setembro.

SERVIÇO:

Exposição “Hiperfoto-Rio”, de Jean François Rauzier


De 18 de agosto a 20 de setembro

Horário: de terça à sexta, das 10h às 17h30. Sábados, domingos e feriados, das 14h às 18h.

Preço: R$ 8. Aos domingos, a entrada é gratuita. Alunos e professores de escolas públicas, maiores de 65 anos, guias de turismo e estudantes de museologia não pagam. Ingresso família (dois adultos e dois estudantes) por R$ 20.

Local: Museu Histórico Nacional – Praça Marechal âncora, s/n. Centro, RJ

A Escadaria Selarón, que liga o Centro a Santa Teresa, também mereceu uma obra do fotógrafo francês. (Foto: Divulgação/ Hiperfoto-Rio)A Escadaria Selarón, que liga o Centro a Santa Teresa, também mereceu uma obra do fotógrafo francês. (Foto: Divulgação/ Hiperfoto-Rio)
A arte dos escultores das areias da praia também inspirou Jean François Rauzier. (Foto: Divulgação/ Hiperfoto-Rio)A arte dos escultores das areias da praia também inspirou Jean François Rauzier. (Foto: Divulgação/ Hiperfoto-Rio)

 

Tem aluma notícia para compartilhar? Envie para o VC no G1 RJ ou por Whatsapp e Viber.

Deixe uma resposta