Rock in Rio: delegado explica investigação de cambistas e golpes

A Polícia Civil deu mais detalhes nesta terça-feira (18), durante o Bom Dia Rio, sobre a investigação da ação de cambistas que vendem ingressos para o Rock in Rio em redes sociais com preços abusivos e bilhetes falsos com o preço inferior ao que foi tabelado pela organização. De acordo com o delegado da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática, Alessandro Thiers, entre as práticas está a venda de ingressos não existentes.

saiba mais

“A organização do evento solicitou apoio para que nós coibíssemos esse tipo de prática. Nós verificamos que diversas pessoas estão oferecendo em sites, de maneira ilegal, ingressos por preços abusivos e por vezes ingressos que nem existem. As pessoas têm que tomar cuidado em relação a isso e quando forem adquirir qualquer tipo de ingresso, adquirirem pelos sites oficiais, autorizados”, disse.


Ainda de acordo com o delegado que acompanha o caso, o prática de cambismo é caracterizada pela venda de ingressos com valores diferenciados. “Quais são os crimes que mais estão sendo apurados aqui? Prática de cambismo que é quando a pessoa tenta negociar o ingresso por um site não oficial e, geralmente, cobrando um preço abusivo. O que seria esse preço abusivo? Seria em torno de 20% a mais ou 20% a menos”, afirmou.

Delegacia já tem vítimas

Thiers disse ainda que já investiga casos específicos de pessoas que cairam no golpe dos cambistas. Segundo ele, o público deve comprar os bilhetes sempre por sites oficiais. “Nós já temos algumas pessoas que vieram comunicar na delegacia esses golpes e a gente está investigando, apurando para identificar os autores. Não existe um site específico, são diversas pessoas que tentam negociar. Algumas nem com o perfil de criminosos, são pessoas até de boa fé que adquiriram o ingresso e querem repassar. É importante ressaltar que o Rock in Rio tem uma página justamente para isso. Tem um canal de comunicação com as pessoas, que aquela pessoa que adquiriu o ingresso e não vai querer participar, ela pode revender para o Rock in Rio e irá revender para outras pessoas”, contou.

Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o VC no G1 RJ ou por Whatsapp e Viber.

Deixe uma resposta