Festival de Cinema entrega prêmios neste sábado em Gramado

Gramado, Festival de Cinema, Cinema, RS, premiação (Foto: Igor Pires/PressPhoto)Estátua representa o kikito, o troféu do Festival de Cinema de Gramado (Foto: Igor Pires/PressPhoto)

Chega ao fim neste sábado (15) na Serra do Rio Grande do Sul a 43ª edição do Festival de Gramado. Em oito dias, foram projetados 47 filmes, sendo 29 curtas e longas-metragens, nacionais e estrangeiros, dentro da mostra competitiva. Serão distribuídos kikitos, troféus e menções especiais, além de uma quantia em dinheiro aos vencedores. A cerimônia de premiação será realizada às 21h, no Palácio dos Festivais.

A expectativa, além do anúncio dos vencedores, é pela chegada das celebridades e pelo movimento no tapete vermelho de diretores, atores, atrizes e demais pessoas envolvidas na produção dos filmes. Entre as celebridades que deverão estar presentes, estão Vladimir Brichta, Mariana Ximenes e Marcos Pasquim.

A seleção dos títulos que competem em Gramado, feita pela argentina Eva Piwowarski e pelos brasileiros Rubens Ewald Filho e Marcos Santuário, não se ateve ao ineditismo. A prioridade, segundo o trio de curadores, é a qualidade. Para compor a seleta lista, foram vistos 124 filmes brasileiros e 67 estrangeiros.

Gramado, Festival de Cinema, Cinema, RS, premiação (Foto: Cleiton Thiele/Agência PressPhoto)Palácio dos Festivais será a sede da entrega de

prêmios (Foto: Cleiton Thiele/Agência PressPhoto)

Sete produções nacionais disputam o Kikito, na principal categoria do evento. Há títulos do Rio de Janeiro, Distrito Federal, Rio Grande do Sul e São Paulo. São obras inéditas “Ponto Zero”, do gaúcho José Pedro Goulart, “Um Homem Só”, estreia da roteirista carioca Claudia Jouvin na direção de longa-metragem e “Introdução à Música do Sangue”, que marca os 50 anos de carreira do diretor Luiz Carlos Lacerda.

Quatro dos sete títulos selecionados já passaram por outros festivais, como “Ausência”, de Chico Teixeira, “O Último Cine Drive-In”, de Iberê Carvalho, “O Fim e os Meios”, de Murilo Salles, e “O Outro Lado do Paraíso”, de André Ristum.

O filme de “Que Horas Ela Volta?”, filme de Anna Muylaert e que traz Regina Casé como protagonista, se destacou em Gramado. Premiada nos festivais de Sundance e Berlim, a produção integrava a mostra competitiva de longas nacionais, mas foi retirada de última hora por conta de uma pré-estreia marcada em São Paulo, o que não é permitido pelo regulamento do festival. Foi exibido como hors concours, na abertura evento.

Entre os latinos, as origens são bastante diversificadas e contemplam toda a América Latina. Estão representados na disputa deste ano obras da Colômbia, México, Argentina, Equador, Costa Rica, Cuba e Uruguai.

O filme mexicano “En La Estancia”, por exemplo, mistura documentário e ficção. “Venecia”, de Cuba, é uma comédia dramática sobre o universo das mulheres. O Uruguai traz o thriller político “Zanahoria”. “La Salada”, da Argentina, apresenta as desventuras de imigrantes em Buenos Aires. “Ella”, da Colômbia, mostra a história de um homem que perde a companheira em uma pensão e tenta reunir dinheiro para o funeral, mas sem sucesso.

Gramado, Festival de Cinema, Cinema, RS, premiação (Foto: Edison Vara/PressPhoto)Gramado, Festival de Cinema, Cinema, RS, premiação (Foto: Edison Vara/PressPhoto)

“Ochentaisiete”, do Equador, retrata o reencontro de velhos amigos que, após anos separados, se veem diante da difícil tarefa de montar uma vida com as peças de outras que se quebraram. Por fim, “Presos”, da Costa Rica, traz um drama sobre uma jovem que, em circunstâncias especiais, conhece um prisioneiro.

Além da entrega dos troféus, um total de R$ 280 mil foi separado para premiar os principais vencedores. A iniciativa, lançada em Gramado na edição do ano passado, serve como uma espécie de incentivo à produção cinematográfica. Apesar da crise, a organização do Festival de Cinema não abriu mão do prêmio em dinheiro.

Também foram quatro os homenageados da edição. As distinções foram conferidas para Marília Pêra (Troféu Oscarito), Daniel Filho (Troféu Cidade de Gramado), Fernando ‘Pino’ Solanas (Kikito de Cristal) e Zelito Viana (Troféu Eduardo Abelin).

No domingo (9) anterior, foram conhecidos os vencedores da Mostra Gaúcha. Com quatro prêmios, o curta-metragem “O Corpo” foi o grande vencedor da noite. O filme de Lucas Cassales concorre também na categoria nacional.

Serviço

Premiação do 43ª Festival de Cinema de Gramado

Data: Sábado (15)

Onde: Palácio dos Festivais (Av. Borges de Medeiros, 2697)

Quanto: R$ 100

Longa-metragem nacional

“Ausência”, de Chico Teixeira (SP)

“Introdução à Música do Sangue”, de Luiz Carlos Lacerda (RJ)

“O Fim e os Meios”, de Murilo Salles (RJ)

“O Outro Lado do Paraíso”, de André Ristum (DF)

“O Último Cine Drive-In”, de Iberê Carvalho (DF)

“Ponto Zero”, de José Pedro Goulart (RS)

“Um Homem Só”, de Cláudia Jouvin (RJ)

Longa-metragem estrangeiro

“Ella”, de Libia Stella Gómez (Colômbia)

“En La Estancia”, de Carlos Armella (México)

“La Salada”, de Juan Martin Hsu (Argentina)

“Ochentaisiete”, de Anahi Hoeneisen e Daniel Andrade (Equador)

“Presos”, de Esteban Ramírez Jímenez (Costa Rica)

“Venecia”, de Kiki Alvarez (Cuba)

“Zanahoria”, de Enrique Buchichio (Uruguai)

Curta-metragem nacional

“Bá”, de Leandro Tadashi (SP)

“Como São Cruéis os Pássaros da Alvorada”, de João Toledo (MG)

“Dá Licença de Contar”, de Pedro Serrano (SP)

“Enquanto o Sangue Coloria a Noite, Eu Olhava as Estrelas”, de Felipe Arrojo Poroger (SP)

“Haram”, de Max Gaggino (BA)

“Heroi”, de Pedro Figueiredo (SP)

“Macapá”, de Marcos Ponts (MA)

“Miss & Grubs”, de Camila Kamimura e Jonas Brandão (SP)

“Muro”, de Eliane Scardovelli (SP)

“O Corpo”, de Lucas Cassales (RS)

“O Teto Sobre Nós”, de Bruno Carboni (RS)

“Quando Parei de Me Preocupar Com Canalhas”, de Tiago Vieira (SP/GO)

“S2”, de Bruno Bini (MT)

“Sêo Inácio (ou O Cinema Imaginário)”, de Helio Ronyvon (RN)

“Virgindade”, de Chico Lacerda (PE)

Deixe uma resposta