Concorrente em Gramado, ‘Ausência’ será exibido com audiodescrição

Filme dirigido Chico Teixeira será exibido com audiodescrição em Gramado (RS) (Foto: Divulgação)Filme dirigido Chico Teixeira será exibido com

audiodescrição em Gramado (Foto: Divulgação)

Um dos sete filmes que concorrem ao Kikito no Festival de Cinema de Gramado será projetado na telona do Palácio dos Festivais, na serra gaúcha, nesta terça-feira (11), também para deficientes visuais. A exibição do longa-metragem “Ausência”, de Chico Teixeira, será realizada com a tecnologia da audiodescrição ao vivo.

Cinquenta aparelhos de tradução simultânea, ingressos gratuitos e transporte entre Porto Alegre e Gramado serão disponibilizados para cegos ou pessoas com baixa visão.

Dirigido por Chico Teixeira, “Ausência” é um drama familiar centrado na figura de Serginho, que precisa lidar com o recém-adquirido papel de homem da casa cuidando de sua mãe e seu irmão mais novo e trabalhando na feira, ao mesmo tempo em que mantém uma amizade com Mudinho e Silvinha e uma relação afetivamente confusa com o Professor Ney.

O longa-metragem será exibido na sessão noturna. A noite também terá a presença da atriz Marília Pêra. Ela receberá o troféu Oscarito, homenagem que marca também uma importante efeméride do festival, já que o troféu chega aos seus 25 anos de existência.

Serviço

43ª Festival de Cinema de Gramado

Data: De 7 a 15 de agosto

Onde: Palácio dos Festivais (Av. Borges de Medeiros, 2697)

Quanto: De R$30 (sessão) a R$ 100 (premiação)

Longa-metragem nacional

“Ausência”, de Chico Teixeira (SP)

“Introdução à Música do Sangue”, de Luiz Carlos Lacerda (RJ)

“O Fim e os Meios”, de Murilo Salles (RJ)

“O Outro Lado do Paraíso”, de André Ristum (DF)

“O Último Cine Drive-In”, de Iberê Carvalho (DF)

“Ponto Zero”, de José Pedro Goulart (RS)

“Um Homem Só”, de Cláudia Jouvin (RJ)

Longa-metragem estrangeiro

“Ella”, de Libia Stella Gómez (Colômbia)

“En La Estancia”, de Carlos Armella (México)

“La Salada”, de Juan Martin Hsu (Argentina)

“Ochentaisiete”, de Anahi Hoeneisen e Daniel Andrade (Equador)

“Presos”, de Esteban Ramírez Jímenez (Costa Rica)

“Venecia”, de Kiki Alvarez (Cuba)

“Zanahoria”, de Enrique Buchichio (Uruguai)

Curta-metragem nacional

“Bá”, de Leandro Tadashi (SP)

“Como São Cruéis os Pássaros da Alvorada”, de João Toledo (MG)

“Dá Licença de Contar”, de Pedro Serrano (SP)

“Enquanto o Sangue Coloria a Noite, Eu Olhava as Estrelas”, de Felipe Arrojo Poroger (SP)

“Haram”, de Max Gaggino (BA)

“Heroi”, de Pedro Figueiredo (SP)

“Macapá”, de Marcos Ponts (MA)

“Miss & Grubs”, de Camila Kamimura e Jonas Brandão (SP)

“Muro”, de Eliane Scardovelli (SP)

“O Corpo”, de Lucas Cassales (RS)

“O Teto Sobre Nós”, de Bruno Carboni (RS)

“Quando Parei de Me Preocupar Com Canalhas”, de Tiago Vieira (SP/GO)

“S2”, de Bruno Bini (MT)

“Sêo Inácio (ou O Cinema Imaginário)”, de Helio Ronyvon (RN)

“Virgindade”, de Chico Lacerda (PE)

saiba mais

 

Deixe uma resposta