Curta ‘O Corpo’ é o grande vencedor da mostra gaúcha em Gramado

O Corpo Festival de Cinema de Gramado (Foto: Edison Vara/PressPhoto/Divulgação)Equipe do curta “O Corpo”, o grande vencedor da noite (Foto: Edison Vara/PressPhoto/Divulgação)

Foram conhecidos na noite deste domingo (9) os vencedores do Prêmio Assembleia Legislativa – Mostra Gaúcha de Curtas, do 43º Festival de Cinema de Gramado, na serra gaúcha. Com quatro prêmios, o curta “O Corpo” foi o grande vencedor da noite.

saiba mais

Além de futurar o prêmio de melhor filme, o filme de Lucas Cassales levou também os prêmios de fotografia, roteiro e direção. O filme aborda o encontro de um corpo em um mata por um menino.

Os 19 filmes concorrentes produzidos no Rio Grande do Sul foram exibidos no sábado (8) e domingo (9) no Palácio dos Festivais. Os vencedores das mostras nacionais de curtas e longas-metragens, além dos longas latinos, serão conhecidos no próximo sábado (15).

Os curtas gaúchos premiados

Melhor Produtor: Clara Moraes, por “Madrepérola”

Melhor Edição de Som: Daniel de Bem, por “Pele de Concreto”

Melhor Música: Bebeto Alves, por “Rito Sumário”

Melhor Direção de Arte: Eder Ramos, por “Da Vida Só Espero a Morte”

Melhor Montagem: Daiane Marcon e Daniel de Bem, por “Pele de Concreto”

Melhor Fotografia: Arno Schuh, por “O Corpo”

Melhor Roteiro: Lucas Cassales, por “O Corpo”

Prêmio Exibição Curtas Gaúchos RBS TV: “Consertam-se Gaitas”, de Ana Cris Paulus, Boca Migotto e Felipe Gue Martini

Melhor Atriz: Gabriela Poester, por “Bruxa de Fábrica”

Melhor Ator: Carlos Azevedo, por “Rito Sumário”

Melhor Diretor: Lucas Cassales, por “O Corpo”

Melhor Filme: “O Corpo”

Serviço

43ª Festival de Cinema de Gramado

Data: De 7 a 15 de agosto

Onde: Palácio dos Festivais (Av. Borges de Medeiros, 2697)

Quanto: De R$30 (sessão) a R$ 100 (premiação)

Longa-metragem nacional

“Ausência”, de Chico Teixeira (SP)

“Introdução à Música do Sangue”, de Luiz Carlos Lacerda (RJ)

“O Fim e os Meios”, de Murilo Salles (RJ)

“O Outro Lado do Paraíso”, de André Ristum (DF)

“O Último Cine Drive-In”, de Iberê Carvalho (DF)

“Ponto Zero”, de José Pedro Goulart (RS)

“Um Homem Só”, de Cláudia Jouvin (RJ)

Longa-metragem estrangeiro

“Ella”, de Libia Stella Gómez (Colômbia)

“En La Estancia”, de Carlos Armella (México)

“La Salada”, de Juan Martin Hsu (Argentina)

“Ochentaisiete”, de Anahi Hoeneisen e Daniel Andrade (Equador)

“Presos”, de Esteban Ramírez Jímenez (Costa Rica)

“Venecia”, de Kiki Alvarez (Cuba)

“Zanahoria”, de Enrique Buchichio (Uruguai)

Curta-metragem nacional

“Bá”, de Leandro Tadashi (SP)

“Como São Cruéis os Pássaros da Alvorada”, de João Toledo (MG)

“Dá Licença de Contar”, de Pedro Serrano (SP)

“Enquanto o Sangue Coloria a Noite, Eu Olhava as Estrelas”, de Felipe Arrojo Poroger (SP)

“Haram”, de Max Gaggino (BA)

“Heroi”, de Pedro Figueiredo (SP)

“Macapá”, de Marcos Ponts (MA)

“Miss & Grubs”, de Camila Kamimura e Jonas Brandão (SP)

“Muro”, de Eliane Scardovelli (SP)

“O Corpo”, de Lucas Cassales (RS)

“O Teto Sobre Nós”, de Bruno Carboni (RS)

“Quando Parei de Me Preocupar Com Canalhas”, de Tiago Vieira (SP/GO)

“S2”, de Bruno Bini (MT)

“Sêo Inácio (ou O Cinema Imaginário)”, de Helio Ronyvon (RN)

“Virgindade”, de Chico Lacerda (PE)

Mostra Gaúcha

“Arte da Loucura”, de Karine Emerich e Mirela Kruel (Porto Alegre)

“Atrás da Sombra”, de Luciana Mazeto e Vinícius Lopes (Porto Alegre)

“Bruxa de Fábrica”, de Jonas Costa (São Leopoldo)

“Consertam-se Gaitas”, de Ana Cris Paulus, Boca Migotto e Felipe Gue Martini (Bento Gonçalves)

“Da Vida Só Espero a Morte”, de Júlia Ramos (Porto Alegre)

“De Que Lado Me Olhas”, de Carolina de Azevedo e Elena Sassi (São Leopoldo)

“Entre nós”, de Maciel Fischer (Pelotas)

“Ferro”, de Giordano Gio (Porto Alegre)

“Kaali”, de Gabriel Motta Ferreira (Porto Alegre)

“Liga-pontos”, de Teresa Assis Brasil (São Leopoldo)

“Madrepérola”, de Deise Hauenstein (São Leopoldo)

“Nes Pas Projeter”, de Cristian Verardi (Porto Alegre)

“O Corpo”, de Lucas Cassales (Porto Alegre)

“O Movimento do Escuro”, de Alexandre Rossi (Porto Alegre)

“O Sonho, o Limiar e a Porta que Metamorfoseia”, de Gustavo Spolidoro (Porto Alegre)

“Pele de Concreto”, de Daniel de Bem (Porto Alegre)

“Plano”, de Virginia Simone, Carlos Dias e Matheus Walter (Porto Alegre)

“Quanto Mais Suicidas, Menos Suicidas”, de Maurício Canterle Gonçalves (Santa Maria)

“Rito Sumário”, de Alexandre Derlam (Porto Alegre)

Deixe uma resposta