‘Missão: Impossível – Nação secreta’, com Tom Cruise, lidera nos EUA

Tom Cruise e Rebecca Ferguson em cena de 'Missão: Impossível – Nação secreta' (Foto: Divulgação)Tom Cruise e Rebecca Ferguson em cena de ‘Missão: Impossível – Nação secreta’ (Foto: Divulgação)

O filme “Missão: Impossível – Nação secreta”, com Tom Cruise, dominou as bilheterias dos cinemas americanos neste fim de semana, com a impressionante arrecadação de US$ 56 milhões. O longa entrou em cartaz em 3.956 salas de cinema. Os números se referem ao chamado “mercado doméstico”, que inclui Estados Unidos e Canadá.

saiba mais

O lucrativo filme dos estúdios Paramount/Skydance abocanhou US$ 20,3 milhões nas bilheterias somente na sexta-feira (31), marcando um recorde para a estreia da franquia. No dia seguinte, a arrecadação foi de US$ 19,7 milhões.

O quinto filme da série, escrito e dirigido por Chris McQuarrie, mostra Tom Cruise encarando um time de agentes especiais conhecido como “Sindicato”. Simon Pegg, Jeremy Renner e Rebecca Ferguson também estão no longa.

“Nação Secreta” teve resultado nas bilheterias entre sexta-feira e domingo (2) cerca de três vezes maior do que o remake do filme “Férias frustradas”, que gerou US$ 14,9 milhões de dólares em ingressos em 3.411 salas de cinema.

A comédia, outra estreia da semana, faturou US$ 21,2 milhões nos primeiros cinco dias. O resultado é inferior ao previsto, cerca de US$ 30 milhões.

Já o terceiro fim de semana do filme “Homem-Formiga”, dobradinha da Disney com a Marvel, arrecadou US$ 12,6 milhões em 3.322 salas de cinema no fim de semana. O total do longa, até aqui, é de US$ 132,1 milhões no mercado doméstico.

“Minions”, filme da Universal que já está em sua quarta semana em cartaz, veio logo atrás, com US$ 12,2 milhões no final de semana, aumentando o total para US$ 287,3 milhões.

Por outro lado, a comédia da Sony “Pixels”, com Adam Sandler, teve queda de 57% nos números nas bilheterias, arrecadando US$ 10,4 milhões em 3.725 salas. Ao todo, em dez dias em cartaz, a comédia levou US$  45,6 milhões.

Deixe uma resposta